Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.101,99
    +1.088,52 (+1,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.508,35
    -314,88 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,29
    -0,67 (-0,77%)
     
  • OURO

    1.839,80
    -3,40 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    41.332,37
    -595,88 (-1,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    992,43
    -2,83 (-0,28%)
     
  • S&P500

    4.482,73
    -50,03 (-1,10%)
     
  • DOW JONES

    34.715,39
    -313,26 (-0,89%)
     
  • FTSE

    7.585,01
    -4,65 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    24.952,35
    +824,50 (+3,42%)
     
  • NIKKEI

    27.772,93
    +305,70 (+1,11%)
     
  • NASDAQ

    14.725,75
    -307,75 (-2,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1299
    -0,0375 (-0,61%)
     

Nova técnica cria reconhecimento de gestos estilo Minority Report

·3 min de leitura

Que tal abrir mão de mouses e teclados na hora de interagir com um computador, usando apenas gestos desenhados no ar para acessar pastas e arquivos, como fazia Tom Cruise há quase 20 anos no filme Minority Report? Graças a cientistas da Universidade Sun Yat-sen, na China, essa tecnologia pode estar mais perto de se tornar realidade.

Os pesquisadores desenvolveram um novo algoritmo capaz de reconhecer gestos manuais com um bom equilíbrio entre simplicidade, precisão e eficiência. Ao contrário dos métodos atuais, esse sistema não é prejudicado por limitações comuns, como alta complexidade computacional, baixa velocidade ou número reduzido de gestos reconhecíveis.

Sistema gera modelos com base em diferentes tipos de mãos (Imagem: Reprodução/Sun Yat-sen University)
Sistema gera modelos com base em diferentes tipos de mãos (Imagem: Reprodução/Sun Yat-sen University)

“Uma das principais características do algoritmo é a adaptabilidade a diferentes tipos de mãos. O sistema tenta primeiro classificar variações entre mãos magras, normais ou largas, com base em três medidas que consideram as relações entre a largura da palma, o comprimento e o tamanho dos dedos”, explica o professor de microeletrônica Zhiyi Yu, autor principal do estudo.

Reconhecimento manual

Após classificar todas as variações possíveis, o algoritmo começa o processo de reconhecimento dos gestos fazendo comparações com amostras do mesmo tipo de mão armazenadas no sistema. Ao utilizar uma biblioteca gestual com modelos correspondentes, os cientistas melhoram a taxa de reconhecimento sem prejudicar a capacidade de processamento do computador.

Movimentos captados pelo algoritmo (Imagens: Reprodução/Sun Yat-sen University)
Movimentos captados pelo algoritmo (Imagens: Reprodução/Sun Yat-sen University)

O tipo de mão do usuário é emparelhado com um banco de dados adaptativo contendo exemplos variados da anatomia humana. Para melhorar ainda mais a precisão, a proporção da área efetiva do gesto é calculada com base em um retângulo de limite mínimo, usado para reconhecer movimentos preliminares e compará-los com as informações armazenadas.

“Algoritmos simples tradicionais tendem a sofrer com as baixas taxas de reconhecimento porque não podem lidar com diferentes tipos de mão. Isso acaba tornando o sistema lento e impreciso, gerando resultados pouco satisfatórios em comparação com outros dispositivos de interação entre máquinas e seres humanos”, acrescenta Yu.

Usando atalhos

O novo método desenvolvido pelos pesquisadores usa os chamados “recursos de atalho” para realizar tarefas de pré-reconhecimento. Embora o algoritmo consiga identificar gestos entre nove amostras possíveis, compará-los com todos os modelos armazenados no sistema seria muito demorado.

Para resolver esse problema, os cientistas criaram um dispositivo que calcula a proporção da área das mãos, selecionando apenas os gestos mais prováveis dentro da biblioteca de amostras. Com isso, o sistema consegue reduzir o número de possíveis movimentos para somente três, garantindo uma precisão muito maior.

Nove gestos usados para treinar o algoritmo (Imagens: Reprodução/Sun Yat-sen University)
Nove gestos usados para treinar o algoritmo (Imagens: Reprodução/Sun Yat-sen University)

Durante os testes realizados em laboratório, os resultados obtidos mostraram que o novo algoritmo conseguiu identificar os gestos das mãos com uma precisão superior a 93%, mesmo com as imagens sendo giradas, torcidas ou redimensionadas durante o processo de reconhecimento dos movimentos.

“O próximo passo será melhorar o desempenho do algoritmo para que ele possa trabalhar em condições de iluminação precária e com um maior número de gestos como base. Essa tecnologia pode abrir caminho para o desenvolvimento de novas formas para controlar equipamentos eletrônicos no futuro”, encerra o professor Zhiyi Yu.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos