Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.259,49
    -831,59 (-0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.579,10
    -329,08 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,46
    -0,69 (-0,96%)
     
  • OURO

    1.818,00
    -43,40 (-2,33%)
     
  • BTC-USD

    38.475,11
    -1.646,75 (-4,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    961,10
    -31,37 (-3,16%)
     
  • S&P500

    4.223,70
    -22,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.033,67
    -265,66 (-0,77%)
     
  • FTSE

    7.184,95
    +12,47 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.436,84
    -201,66 (-0,70%)
     
  • NIKKEI

    29.291,01
    -150,29 (-0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.924,50
    -56,75 (-0,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0718
    -0,0461 (-0,75%)
     

Nova onda de COVID-19 e poucas vacinas: África vivencia situação preocupante

·1 minuto de leitura

A situação da África em relação à vacina contra a COVID-19 é causa de muita preocupação. Na África do Sul, apenas 0,8% da população está completamente vacinada, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins. Na Nigéria, o maior país do continente — com mais de 200 milhões de habitantes — apenas 0,1% está totalmente protegido.

O Quênia, com 50 milhões de habitantes, tem uma porcentagem ainda menor. Uganda chegou a recolher doses de áreas rurais porque não tem o suficiente para combater surtos em grandes cidades. Enquanto isso, o Chade ainda não administrou suas primeiras vacinas, e há pelo menos cinco outros países na África onde simplesmente ninguém tomou a vacina, de acordo com o Centro Africano para Controle e Prevenção de Doenças.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o continente enfrenta uma grave escassez de imunizantes, no mesmo passo em que uma nova onda de infecções progride. Os embarques de vacinas para a África estão quase parados.

(Imagem: Mufid Majnun/Unsplash)
(Imagem: Mufid Majnun/Unsplash)

“É extremamente preocupante e frustrante”, disse o Diretor do Centro Africano para Controle e Prevenção de Doenças, Dr. John Nkengasong. Ele chegou a pedir que os líderes das nações mais ricas compartilhem vacinas sobressalentes, algo que os EUA já garantiram.

A África enfrenta um déficit de cerca de 700 milhões de doses, mesmo depois de levar em conta aquelas garantidas pelo programa de vacinas da OMS para os países mais pobres, o COVAX Facility.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: