Mercado fechado

Nova missão ExoMars atrasa testes com paraquedas e pode ser adiada

Daniele Cavalcante

A missão ExoMars, desenvolvida em parceria entre a agência europeia ESA e a russa Roscosmos, precisou adiar os próximos testes com paraquedas, que são essenciais para garantir o pouso seguro da nova sonda em Marte. Os testes estavam agendados para algum momento entre dezembro e fevereiro, e agora só devem ocorrer no final de março.

Não é a primeira vez que a missão sofre mudanças no cronograma por causa dos paraquedas. Em agosto de 2019, a missão precisou ser adiada após um fracasso nos testes envolvendo seus paraquedas. A previsão de lançamento da missão ficou para entre julho e agosto de 2020, uma janela que facilita o pouso no Planeta Vermelho.

Para o pouso suave do rover Rosalind Franklin em Marte, serão usados dois paraquedas: o primeiro será aberto enquanto o módulo de pouso ainda estiver se movendo na velocidade supersônica, e outro abrirá assim que o voo for reduzido para a velocidade subsônica, o que deve acontecer após 20 segundos. Cada um deles terá seu próprio piloto extrator para ajudar a desacelerar o módulo de descida antes de pousar em Marte.

Após a separação dos paraquedas, os motores de travagem serão acionados a cerca de 1 km acima do solo para liberar a plataforma de aterragem. Em seu interior, estará o rover. Toda essa sequência, desde a entrada atmosférica até à aterragem, deve demorar apenas seis minutos.

Os testes de ambos os paraquedas precisam ter sucesso para que o lançamento aconteça durante a janela prevista. Qualquer falha significa que a missão deverá ser adiada por mais 26 meses, quando teremos outra janela ideal para lançamentos rumo a Marte, no final de 2022. Mas a ExoMars poderá ser adiada antes mesmo que os testes sejam realizados.

Quais serão os próximos passos?

Após uma revisão do projeto realizada no final de janeiro e um relatório sobre o progresso da missão, os diretores da ESA e da Roscosmos se reunirão na próxima semana para discutir os próximos passos da missão conjunta. A duas agências disseram que "instruíram os respectivos inspetores gerais e chefes de programa a enviar um plano e cronograma atualizados, cobrindo todas as atividades restantes necessárias para a autorização de lançamento".

O plano da missão “será examinado pelos dois chefes das agências que se reunirão em 12 de março para acordar em conjunto os próximos passos”. A decisão será anunciada em uma coletiva de imprensa realizada depois desse encontro, em Moscou, transmitira ao vivo na ESA Web TV.

Além disso, a ExoMars 2020 ainda passará por uma revisão final agendada para abril deste ano, e os problemas com os paraquedas e outros componentes deverão estar resolvidos nesta data. Também há um problema no rover, mas ele “não é visto como um problema sério”, de acordo com a ESA.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: