Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.471,92
    +579,70 (+0,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.723,43
    -192,74 (-0,41%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,53
    -0,01 (-0,01%)
     
  • OURO

    1.792,40
    -14,50 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    23.076,43
    -131,63 (-0,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    533,20
    -2,02 (-0,38%)
     
  • S&P500

    4.145,19
    -6,75 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    32.803,47
    +76,65 (+0,23%)
     
  • FTSE

    7.439,74
    -8,32 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.201,94
    +27,90 (+0,14%)
     
  • NIKKEI

    28.175,87
    +243,67 (+0,87%)
     
  • NASDAQ

    13.216,50
    -110,50 (-0,83%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2666
    -0,0739 (-1,38%)
     

Nova imagem do Hubble mostra "coração de estrelas" em Sagitário

Aglomerado globular NGC 6638, cujo formato lembra um coração (ESA/HUBBLE/NASA/R. Cohen)
Aglomerado globular NGC 6638, cujo formato lembra um coração (ESA/HUBBLE/NASA/R. Cohen)
  • Aglomerado foi batizado de NGC 6638;

  • Imagem foi compartilhada no perfil oficial do telescópio no Twitter;

  • Aglomerados globulares podem ter milhões de estrelas próximas uma das outras.

O telescópio espacial Hubble fotografou uma das formações astronômicas mais curiosas do espaço. Feita no último domingo (31), a imagem mostra um conjunto de corpos celestes da constelação de Sagitário. Aglomerados, eles se aproximam ao formato de um coração.

A fotografia foi feita graças às lentes de alta resolução do telescópio, a Wide Field Camera 3, e a Advanced Camera for Surveys. A imagem foi divulgada pela Agência Espacial Europeia, através do perfil do telescópio no Twitter. Apesar dos incríveis detalhes, no centro da foto, as estrelas estão tão próximas que parecem até mesmo um único objeto celeste.

A formação é considerada um aglomerado globular, um conjunto de estrelas bem próximas uma das outras. Geralmente, esses tipos de formações são bem difíceis de serem observadas da Terra, uma vez que a atmosfera dificulta a visualização individual da estrela, tornando-as todas um grande borrão. Como o Hubble se encontra na órbita do planeta, ele conseguiu uma visão detalhista da constelação.

Esse tipo de formação é oposta ao aglomerado aberto, onde as estrelas estão dispersas em áreas maiores. Já foram encontrados até mesmo aglomerados com mais de 10 milhões de estrelas. O Hubble tem sido um dos principais aliados no estudo desses aglomerados globulares, desde o processo de suas formações até mesmo o papel da gravidade na existência desses corpos.

Mais recentemente, o telescópio realizou fotografias de galáxias dos mais diferentes formatos, desde espirais, como a nossa Via Láctea, quanto formas mais irregulares, que desafiam os tipos mais comuns: espirais e elipsais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos