Nova greve paralisa os trens de Portugal em pleno Natal

Lisboa, 25 dez (EFE).- Uma nova greve dos maquinistas de trens deixou Portugal praticamente sem serviço ferroviário no dia de Natal, durante o qual também foram registradas interrupções de ônibus.

Os sindicatos da empresa estatal de ferrovias CP conseguiram paralisar os serviços em quase todo o país, como fazem há vários meses a cada feriado em protesto pela redução de 50% nos pagamentos que recebem por trabalhar nesses dias.

Segundo porta-vozes do Sindicato Nacional de Maquinistas, a adesão à greve foi total e foram realizados apenas parte dos serviços mínimos organizados por conta do Natal, uma jornada de tráfego ferroviário intenso devido ao retorno dos deslocamentos do fim de semana e da noite de 24 de dezembro.

Segundo meios estatais, até o meio-dia não circulou quase nenhum do mais de 50 trens de passageiros previstos e a greve paralisou também os serviços de carga.

Além disso, as interrupções de transportes afetaram também à empresa de ônibus urbanos de Lisboa (Carris) e o metrô da populosa margem sul do rio Tejo.

Segundo vários porta-vozes sindicais, estes greves tiveram também forte adesão que, no caso do metrô do sul do Tejo, consideraram superior a 70% até a tarde do dia do Natal.

No entanto, por sua parte, as empresas afetadas não quantificaram a incidência das interrupções com exatidão ou apontaram que foi baixa.

As medidas de austeridade e os cortes de despesas aplicados em Portugal desde o ano passado para cumprir as exigências de seu resgate financeiro multiplicaram as greves e protestos populares no país.

A grave crise econômica lusa disparou o desemprego até 16% e a queda da economia para 3% do Produto Interno Bruto (PIB). EFE

Carregando...