Mercado abrirá em 6 h 36 min

Nova Futura inclui Magazine Luiza, JBS e IRB na carteira semanal

Juliano Passaro
Nova Futura inclui Magazine Luiza, JBS e IRB na carteira semanal

Em sua carteira recomendada de ações da semana, divulgada nesta segunda-feira (13), a Nova Futura trocou três ativos de seu portfólio. Dessa forma, Magazine Luiza, JBS e IRB entraram no lugar de Hapvida, BRF e Hypera Pharma.

O objetivo da carteira da Nova Futura é superar o Índice Bovespa e não há, dessa forma, stop loss e gain. A sugestão para a alteração dos ativos é que seja feita nas sexta-feiras, durante a abertura do mercado.

É importante destacar que, na semana passada, a carteira avançou 1,50%, enquanto o Ibovespa registrou queda de 1,87%.

A carteira possui recomendações do analista Leandro de Checchi. A orientação é de que os investidores diversifiquem a carteira, dando prioridade ao momento de cada ativo.

Magazine Luiza

A Magazine Luiza (MGLU3) informou em meados de dezembro que o marketplace da companhia cresceu 300% em apenas um ano. O anúncio foi feito em um evento com investidores.

Veja também: Mirae coloca Itaúsa e YDUQS em carteira semanal recomendada

A rede varejista de eletrônicos e móveis divulgou seu resultado do terceiro trimestre em outubro do ano passado. A empresa registrou lucro líquido de R$ 235,1 milhões, valor correspondente a uma alta de 96,7% em comparação com o mesmo período no ano anterior.

JBS

A JBS (JBSS3) divulgou o seu balanço referente ao período de julho a setembro de 2019, em novembro do ano passado. A companhia apresentou o lucro líquido de R$ 356,7 milhões. No mesmo período do ano passado, foi reportado prejuízo de R$ 133,5 milhões.

IRB

O IRB Brasil (IRBR3) registrou um lucro líquido de R$ 329,5 milhões no terceiro trimestre de 2019. Esse valor representa uma alta de 28,9% em comparação com o mesmo período de 2018. Apesar do lucro da resseguradora ter aumentado, o valor ficou abaixo das expectativas dos analistas, de R$ 409,4 milhões.

Nova Futura

A Nova Futura foi fundada em 1983 com o nome de "Futura Corretora", e, na época, atuava nos mercados de derivativos. A Nova Futura Investimentos, porém, só foi lançada em 2015, com a fusão entre a Futura e a Nova Futura D.T.V.M.