Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    55.152,62
    +768,31 (+1,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Nova firma nos EUA quer negros na chefia de empresas financeiras

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- Quando executivos de Wall Street falam sobre diversificar um setor que ainda é dirigido principalmente por chefes brancos, as chances são boas de que eles se refiram a recrutamento, retenção, orientação ou doação de cheques volumosos.

Most Read from Bloomberg

Os quatro cofundadores de uma nova empresa, a Known Holdings, não estão se preocupando com tudo isso. Eles não vão trabalhar para melhorar a representação dentro dos grandes bancos - eles querem pessoas negras no comando de suas próprias gigantes financeiras.

A Known está construindo o que chama de “nave-mãe” para líderes negros, indígenas e latinos em Wall Street. O objetivo é ajudar os empreendedores a lançar e dar suporte a empresas e fundos que serão fortes o suficiente para serem comandados por eles durante décadas. Isso significa fornecer capital para crescimento, bem como ajuda no desenvolvimento de negócios e arrecadação de recursos, junto com as tarefas do dia-a-dia de recursos humanos, branding, contabilidade e análises.

Eles também planejam ter participações em consultorias de investimentos administradas por ou dedicados a grupos sub-representados.

“Eu sei como funcionam as finanças, conheço a máquina, conheço as lacunas”, disse a co-fundadora da Known, Valerie Red-Horse Mohl, que é diretora financeira da East Bay Community Foundation e ensina empreendedorismo no Centro de Estudos Comparativos em Raça e Etnia da Universidade de Stanford. “Existe um sistema de suporte e rede que funciona, de forma que uma pequena startup se transforme em uma empresa de trilhões de dólares.”

Seus co-fundadores são Jim Casselberry, diretor de investimentos do family office 4S Bay Partners, a investidora Nathalie Molina Niño e o estrategista de tecnologia Ushir Shah. Eles planejam levantar cerca de US$ 55 milhões para a empresa e pretendem ter mais de US$ 5 bilhões em ativos sob gestão.

O trabalho principal da Known ajudará com capital, consultoria e desenvolvimento, enquanto um programa separado focará em incubadoras e networking. Eles planejam adicionar uma unidade destinada a empresas de gestão de patrimônios e outra para investimento em fundos.

‘Grupo de confiança’

Os cofundadores não necessariamente administrarão a empresa, cujos principais executivos ainda não foram anunciados. Em vez disso, a empresa formou o que descreve como um “grupo de confiança” de consultores e investidores que inclui Priya Parrish, diretora de investimentos da empresa de private equity Impact Engine, o capitalista de risco Ibrahim AlHusseini e Andre Perry, membro sênior da Brookings Institution, onde estuda raça e desigualdade estrutural.

“Se você olhar para os bancos tradicionais e bancos de investimento tradicionais, eles são percebidos - com ou sem razão - como parte do problema, e não como parte da solução”, disse AlHusseini.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos