Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    36.591,34
    +485,49 (+1,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Notícias do dia - O que você precisa saber para começar o domingo

Colaboradores Yahoo Notícias
·2 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - JUNE 25: A Baccarelli Institute student plays the violin during the distribution of food at the institute's headquarters in Heliopolis amidst the coronavirus pandemic on June 25, 2020 in Sao Paulo, Brazil. Instituto Baccarelli is a non-profit organization that teaches music to more than 1200 underprivileged and socially vulnerable children and young people in Heliopolis, one of the biggest favelas in Sao Paulo of over 200,000 inhabitants. The Institute is responsible for creating the first orchestra in the world that emerged in a favela, the Heliopolis Symphonic Orchestra. With the social and economic impact of the coronavirus (COVID-19) pandemic in these poor communities, Instituto Baccarelli decided to raise funds and the donations are used for food, cleaning and hygiene products. (Photo by Alexandre Schneider/Getty Images)
(Photo by Alexandre Schneider/Getty Images)

Covid-19: o número de casos do novo coronavírus no Brasil subiu para 1.313.667 e o total de mortes chega a 57.070; O Ministério da Saúde anunciou uma parceria para o desenvolvimento e produção de vacina contra a Covid-19, considerada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) a “mais adiantada no mundo”; Para 76% dos brasileiros as escolas deveriam continuar fechadas pelos próximos dois meses em razão da pandemia do novo coronavírus; Três procuradores decidiram deixar a Lava Jato por discordarem da coordenadora da operação na PGR (Procuradoria-Geral da República), Lindora Maria Araújo, que teria solicitado acesso a dados das forças-tarefas nos estados.

Confira o que você precisa saber para começar o domingo, 28 de junho de 2020:


Covid-19: Brasil tem 57.070 mortes e 1.313.667 casos segundo relatório do Conass

O número de casos do novo coronavírus no Brasil subiu para 1.313.667 e o total de mortes chega a 57.070. Os dados foram divulgados pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), um sistema próprio de informações que reúne dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo.

Leia a matéria completa.


Coronavírus: Governo anuncia parceria para produção de vacina de Oxford

O Ministério da Saúde anunciou uma parceria para o desenvolvimento e produção de vacina contra a Covid-19, considerada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) a “mais adiantada no mundo”, pesquisada pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca.

Leia a matéria completa.

76% dos brasileiros são contra reabrir escolas, diz Datafolha

Para 76% dos brasileiros as escolas deveriam continuar fechadas pelos próximos dois meses em razão da pandemia do novo coronavírus. Pelo menos é isso que mostra pesquisa do Datafolha. A margem de erro do estudo é de dois pontos. O instituto ouviu 2.016 pessoas na terça (23) e quadra (24) por telefone.

Leia a matéria completa.

Procuradores deixam Lava Jato após coordenadora pedir acesso a dados

Três procuradores decidiram deixar a Lava Jato por discordarem da coordenadora da operação na PGR (Procuradoria-Geral da República), Lindora Maria Araújo, que teria solicitado acesso a dados das forças-tarefas nos estados. Segundo a Globo, os procuradores que decidiram deixar os cargos no grupo são Hebert Reis Mesquita, Victor Riccely Lins Santos e Luana Macedo Vargas. Uma quarta procuradora, Maria Clara Noleto, também deixou a Lava Jato na PGR, mas no início deste mês, por divergências.

Leia a matéria completa.