Mercado fechado

Notícias do dia - O que você precisa saber para começar a quinta

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
Unidade Básica de Saúde na cidade de Pouso Alegre, em Minas Gerais (Erasmo Salomão/Ministério da Saúde)
Unidade Básica de Saúde na cidade de Pouso Alegre, em Minas Gerais (Erasmo Salomão/Ministério da Saúde)

Covid-19: Brasil tem 510 mortes em 24h, Bolsonaro diz que vai revogar decreto sobre privatização de UBS, Anvisa autoriza importação de insumo da CoronaVac, Doria quer distribuir vacina contra coronavírus para outros estados do Brasil, Brasil perde 2 a cada 3 leitos de UTI criados na pandemia, Covid-19: entidades lançam campanha pró-vacina, o que Brasil pode aprender com 2º onda na Europa? e governadora de SC evita condenar neonazistas.

Confira o que você precisa saber para começar a quinta-feira, dia 29 de outubro de 2020:

Covid-19: Brasil tem 510 mortes em 24h

O Brasil registrou 510 novas mortes pelo novo coronavírus e 28.629 novos casos da doença nesta quarta (28). Com isso, o total de mortos chegou a 158.456 e o de casos a 5.468.270, de acordo com o painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), um sistema próprio de informações que reúne dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Bolsonaro diz que vai revogar decreto sobre privatização de UBS

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (28) que vai revogar o decreto que inclui a política de atenção primária em saúde dentro do escopo de interesse do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), publicado na terça-feira (27). LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Anvisa autoriza importação de insumo da CoronaVac

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) decidiu nesta quarta-feira autorizar a importação da matéria-prima da Sinovac necessária para que o Instituto Butantan fabrique a vacina “CoronaVac” contra a Covid-19, informou o órgão regulador em comunicado. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Doria quer distribuir vacina contra coronavírus para outros estados do Brasil

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta quarta-feira, 28, que, caso a vacina contra o coronavírus seja aprovada pela Anvisa, o estado pode disponibilizar doses da imunização para outros estados. A atitude seria tomada caso o Ministério da Saúde não distribuísse a CoronaVac por meio do Programa Nacional de Imunizações. Na última semana, o ministro da pasta, Eduardo Pazuello, chegou a dizer que compraria doses da vacina, mas foi desautorizado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Brasil perde 2 a cada 3 leitos de UTI criados na pandemia

O Brasil está fechando boa parte dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) abertos desde o início da pandemia do coronavírus. Dos 14.843 leitos de UTI adultos e 249 pediátricos habilitados pelo Ministério da Saúde desde abril, resta pouco mais de um terço—5.233 de adultos e seis pediátricos, segundo a pasta. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Covid-19: entidades lançam campanha pró-vacina

Declarações desencontradas e uma discussão atemporal sobre as obrigações do Estado a respeito da imunização da covid-19 levou cerca de 250 entidades a lançarem a campanha “Vacina para Todas e Todos”.Encabeçada pela Abong (A Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais), a ação tenta pressionar o governo federal a garantir o direito universal à futura vacina contra o coronavírus. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

O que Brasil pode aprender com 2º onda na Europa?

A primeira onda de covid-19 na Europa começou a tomar forma a partir do início de março de 2020 e atingiu seu pico durante o mês de abril. Em maio, a situação já parecia estar mais estabilizada, com uma queda importante no número de casos e mortes pela infecção provocada pelo Sars-CoV-2, o coronavírus responsável pela pandemia atual. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Governadora de SC evita condenar neonazistas

A governadora de Santa Catarina, Daniela Reinehr (sem partido), não respondeu aos jornalistas se concorda com ideias neonazistas e negacionistas sobre o Holocausto judeu durante a Segunda Guerra Mundial. Ao invés disso, em sua primeira coletiva de imprensa como governadora, nesta terça-feira (27), ela afirmou que “respeita as pessoas independentemente dos seu pensamentos”. LEIA A MATÉRIA COMPLETA