Mercado abrirá em 23 mins
  • BOVESPA

    112.291,59
    +413,06 (+0,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.934,21
    +259,38 (+0,59%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,29
    +0,65 (+1,42%)
     
  • OURO

    1.842,50
    +1,40 (+0,08%)
     
  • BTC-USD

    18.968,95
    -288,63 (-1,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    372,25
    -2,15 (-0,58%)
     
  • S&P500

    3.666,72
    -2,29 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    29.969,52
    +85,73 (+0,29%)
     
  • FTSE

    6.541,84
    +51,57 (+0,79%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2493
    +0,0133 (+0,21%)
     

Notícias do dia - O que você precisa saber para começar a quarta

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
Close-Up Of Doctor Filling Medical Injection.
(Foto: Getty Images)

Covid-19: Brasil registra 174 mortes em 24h, IML: "Evento adverso grave" que paralisou testes da CoronaVac foi suicídio, CoronaVac: veja a linha do tempo da pausa dos testes, Bolsonaro diz que ‘ganhou’ de Doria, entenda a 'Guerra das Vacinas' entre Bolsonaro e Doria envolvendo a Coronavac, Ministério da Saúde deixa de atualizar números da Covid-19, Ministério da Saúde deixa de atualizar números da Covid-19, Bolsonaro sobre Covid-19: 'Temos que deixar de ser um país de maricas' e Bolsonaro sobre Biden: ‘Quando acabar a saliva, tem que ter pólvora'.

Confira o que você precisa saber para começar a quarta-feira, dia 11 de novembro de 2020:

Covid-19: Brasil registra 174 mortes em 24h

O Brasil registrou 174 novas mortes pelo novo coronavírus e 23.973 novos casos da doença nesta terça (10). Com isso, o total de mortos chegou a 162.802 e o de casos a 5.699.005, de acordo com o painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), um sistema próprio de informações que reúne dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

IML: "Evento adverso grave" que paralisou testes da CoronaVac foi suicídio

O laudo do IML (Instituto Médico Legal) atestou que foi suicídio a causa da morte do voluntário de 33 anos envolvido no “evento adverso grave” que resultou na decisão da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) de paralisar os estudos da CoronaVac. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

CoronaVac: veja a linha do tempo da pausa dos testes

A Anvisa decidiu na noite de segunda-feira (9) paralisar os testes da CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a empresa chinesa Sinovac Biotech, alegando a ocorrência de um “evento adverso grave” com um voluntário do estudo. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Após Anvisa paralisar testes da Coronavac, Bolsonaro diz que "ganhou" de Doria

Jair Bolsonaro (sem partido) colocou mais fogo no já explosivo embate com João Doria (PSDB). Na manhã desta terça-feira (10), o presidente compartilhou a notícia de suspensão pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) dos testes da vacina Coronavac e disse ter “ganhado” do tucano. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Entenda a 'Guerra das Vacinas' entre Bolsonaro e Doria envolvendo a Coronavac

A suspensão do teste clínico da vacina Coronavac pegou o país e o próprio governo de João Doria (PSDB) de surpresa. A gestão do tucano diz não ter sido avisado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), fato que piora ainda mais a relação do paulista com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Há tempos, os dois vem travando uma espécie de “guerra das vacinas” atual. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Ministério da Saúde deixa de atualizar números da Covid-19

Desde o dia 4 de novembro, o site do Ministério da Saúde enfrenta problemas técnicos na atualização dos dados sobre a covid-19 no Brasil. Segundo o ministério, o erro “é devido à instabilidade no sistema de informática da pasta”. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Bolsonaro sobre Covid-19: 'Temos que deixar de ser um país de maricas'

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou, nesta terça-feira (10), que o Brasil “tem que deixar de ser um país de maricas”, referindo-se ao enfrentamento e medo da Covid-19, doença causada pelo coronavírus. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Bolsonaro sobre Biden: ‘Quando acabar a saliva, tem que ter pólvora'

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reagiu às possibilidades do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, de aplicar sanções econômicas ao Brasil diante da condução frágil do governo no combate ao desmatamento na Amazônia. Sem citar o nome de Biden, disse que uma solução “apenas pela diplomacia não dá” e que “depois que acabar a saliva tem que ter pólvora”. LEIA A MATÉRIA COMPLETA