Mercado fechará em 1 h 56 min
  • BOVESPA

    111.870,46
    +2.152,52 (+1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.589,99
    +129,44 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    92,44
    -1,90 (-2,01%)
     
  • OURO

    1.815,80
    +8,60 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    24.024,85
    -325,46 (-1,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    570,83
    -0,46 (-0,08%)
     
  • S&P500

    4.256,39
    +49,12 (+1,17%)
     
  • DOW JONES

    33.621,98
    +285,31 (+0,86%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.505,75
    +194,50 (+1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Nothing Phone (1) mostra resistência e dificuldade de reparo em testes

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Chegando a pouco mais de duas semanas de lançamento, o Nothing Phone (1) começou a ser submetido a diferentes testes que avaliam aspectos como sua resistência e nível de reparabilidade. Testado pelos canais JerryRigEverything e PBK Reviews, dois dos mais reconhecidos no assunto, o primeiro smartphone da nova empresa de Carl Pei mostrou ser relativamente resistente, com algumas ressalvas, mas apresentou elevada complexidade para ser consertado.

Nothing Phone (1) mostra resistência elevada em teste

O aparelho foi avaliado inicialmente pelo YouTuber Zack Nelson, do canal JerryRigEverything, especializado em testar a resistência de smartphones e outros dispositivos. Com painéis de vidro Gorilla Glass 5 e estrutura em alumínio reciclado, o Nothing Phone (1) superou a maioria dos testes do produtor de conteúdo sem dificuldades.

O Nothing Phone (1) se mostrou resistente com algumas ressalvas, como a maior sensibilidade na região das antenas ao ser pressionado (Imagem: JerryRigEverything/Youtube)
O Nothing Phone (1) se mostrou resistente com algumas ressalvas, como a maior sensibilidade na região das antenas ao ser pressionado (Imagem: JerryRigEverything/Youtube)

O display resistiu a arranhões até o nível de dureza 6 da escala Mohs, o que comprova se tratar de vidro temperado, enquanto as laterais provaram ser de alumínio ao serem descascadas pelo estilete de aço de Zack — liga metálica com maior nível de dureza. Sob o fogo de um isqueiro, o painel AMOLED resistiu por 40 segundos, recuperando-se pouco tempo depois, ponto positivo considerando que alguns painéis do tipo sofrem danos permanentes.

Também se destaca a presença de um anel de borracha na gaveta de chips SIM para impedir a entrada de água no compartimento, o que deve garantir maior resistência a acidentes com líquidos, ainda que o telefone traga apenas certificação IP53 de resistência a respingos. Por outro lado, o leitor óptico de digitais sob a tela não foi capaz de registrar a biometria do YouTuber. Zack possui digitais desgastadas, mas outros smartphones não chegaram a apresentar essa dificuldade.

O momento mais preocupante ocorreu no momento em que o criador de conteúdo pressionou o aparelho para checar a rigidez estrutural, quando o Nothing Phone (1) apresentou uma curvatura acentuada e emitiu sons suspeitos. Ainda que não tenha se partido e tenha continuado a funcionar normalmente, o dispositivo não saiu completamente ileso, apresentando descolamento na região das antenas de plástico.

Aparelho é difícil de consertar

O primeiro smartphone da Nothing não teve a mesma sorte na avaliação de reparabilidade do canal PBK Reviews — seu design diferenciado e as centenas de LEDs na traseira provaram ser complexos de serem removidos em virtude do uso de parafusos muito pequenos e da presença de múltiplas conexões de energia, pontos que complicam consertos feitos pelos próprios usuários.

Fora isso, o acesso à bateria e até mesmo à tela exigem que os componentes traseiros sejam removidos, forçando assim os donos do aparelho a passar pelo processo completo de desmontagem, e há grande dificuldade em se encontrar peças de reposição para o modelo. Diante desse cenário, o Nothing Phone (1) recebeu uma nota 3 de 10 em reparabilidade.

PBK Reviews realizou ainda uma avaliação própria de resistência ao submeter o celular a um teste de quedas, mantendo o protetor da tela, para representar a experiência que os usuários terão ao tirar o dispositivo da caixa. Além de marcações no alumínio, ambos os painéis de vidro acabaram trincados, mas curiosamente o display foi danificado apenas na queda de maior altura. O canal teoriza que a presença da película tenha ajudado a minimizar os impactos.

O Nothing Phone (1) está à venda na Ásia e Europa, com preços sugeridos que partem das 399 libras, ou cerca de R$ 2.525 em conversão direta e sem impostos. A novidade não será lançada nas Américas.

Nothing Phone (1): ficha técnica

  • Tela: AMOLED de 6,55 polegadas Full HD+, com resolução de 2400 x 1080 pixels,taxa de atualização de 120 Hz, profundidade de cor de 10-bit

  • Chipset: Qualcomm Snapdragon 778G Plus

  • Memória RAM: 8 ou 12 GB

  • Armazenamento interno: 128 GB ou 256 GB

  • Câmera traseira: 50 MP (Principal, f/1,88, Sony IMX766, OIS) + 50 MP (Ultrawide, f/2.2, 114°)

  • Câmera frontal: 16 MP (f/2.5)

  • Bateria: 4.500 mAh com carregamento rápida de 33 W

  • Extras: Wi-Fi 6, Bluetooth 5.2, NFC, 5G, sensor de impressões digitais no display, carregamento sem fio de 15 W

  • Cores disponíveis: branco e preto

  • Sistema operacional: Android 12, sob a Nothing OS

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos