Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.123,85
    -3.459,16 (-3,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.925,52
    -673,01 (-1,30%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,42
    -0,87 (-1,16%)
     
  • OURO

    1.734,20
    -3,30 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    41.680,01
    -1.429,69 (-3,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.033,22
    -23,93 (-2,26%)
     
  • S&P500

    4.352,63
    -90,48 (-2,04%)
     
  • DOW JONES

    34.299,99
    -569,38 (-1,63%)
     
  • FTSE

    7.028,10
    -35,30 (-0,50%)
     
  • HANG SENG

    24.500,39
    +291,61 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.183,96
    -56,10 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.763,25
    -1,50 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3426
    +0,0358 (+0,57%)
     

Nos pênaltis, Estados Unidos vencem a Holanda e vão à semifinal em Tóquio

·4 minuto de leitura


Não faltou emoção na partida pelas quartas de final dos Jogos Olímpicos, entre as seleções da Holanda e dos Estados Unidos, na manhã desta sexta-feira (noite no horário local), no estádio Internacional de Yokohama. Após um empate em 2 a 2 no tempo normal sendo mantido na prorrogação, as norte-americanas se deram melhor nas cobranças vencendo por 4 a 2, garantindo assim sua vaga nas semifinais.

Agora, as adversárias da vez serão as canadenses que, por sua vez, eliminaram a Seleção Brasileira também nos pênaltis. O confronto acontecerá na próxima segunda-feira (2), no estádio Kashima.

>Aplicativo de resultados do LANCE! está disponível na versão iOS

MELHOR INÍCIO DOS EUA, MAS HOLANDA ABRE O PLACAR

Iniciando o duelo indo pra cima das adversárias, os Estados Unidos visou ficar mais com a posse de bola nos primeiros movimentos. Entretanto, a superioridade acabou não surtindo muito efeito já que foram poucos os lances de perigo contra a goleira Van Veenendaal.

Por outro lado, as jogadoras da Holanda, quando conseguiram chegar ao seu campo de ataque, não desperdiçaram a chance. Recebendo na grande área, Vivianne Miedema dominou e, virando pra cima da marcação, abriu a contagem em Yokohama: 1 a 0.

NORTE-AMERICANAS VIRAM O PLACAR NA SEQUÊNCIA

Em desvantagem no placar, as norte-americanas trataram de ir pra cima em busca de sua igualdade. E conseguiram. Aos 29 minutos, após cruzamento pelo lado direito de Lynn Williams, a bola foi na cabeça de Samantha Mewis

E o tento deu ânimo. Um minuto depois, a bola acabou sendo jogada na área e, com o erro por parte da defesa holandesa, ela novamente, Williams, que havia dado uma assistência no lance anterior, dessa vez deixou o dela para colocar sua equipe norte-americana: 2 a 1.

HOLANDESAS DEIXAM TUDO IGUAL NOVAMENTE

Adotando uma postura mais ofensiva no início do segundo tempo, a equipe da Holanda voltou a campo com a mesma formação. Percebendo as norte-americanas se defendendo mais, aos 9 minutos, outra vez ela, Viviane Miedema, depois de um forte chute rasteiro, viu sua bola balançar o fundo da rede da meta defendida por Naeher: 2 a 2.

E o tento pareceu ter ligado o sinal de alerta pelo lado dos EUA. Sendo assim, o treinador optou por algumas trocas, colocando entre elas Alex Morgan, visando dar ânimo em campo em busca de um possível gol da vitória. E quase conseguiu. Momentos depois, chegou a marcar com Press, porém após revisão do VAR, o gol acabou sendo anulado.

HOLANDA PERDE PÊNALTI NA RETA FINAL

Nos últimos minutos do confronto, ambas as seleções sabiam que qualquer erro poderia decretar a eliminação. Até que aos 35 minutos, Beerensteyn acabou sendo derrubada na área por O'Hara e, após checagem da arbitragem, o pênalti foi confirmado, porém, na cobrança, Martens acabou perdendo a chance de deixar sua equipe em vantagem novamente, já que a goleira Naeher acabou fazendo a defesa mantendo o empate.

Após o erro, os Estados Unidos passaram a comandar as ações até os acréscimos dados pela árbitra. Porém, sem sucesso nas investidas, o confronto acabou indo para a prorrogação.

EQUIPES VÃO PARA O TUDO OU NADA NA PRORROGAÇÃO

Melhor no primeiro tempo, a Holanda não quis saber de dar espaços e foi pra cima das adversárias. Sendo assim, chegou até a marcar seu terceiro gol no jogo, porém, após checagem no VAR, o tento acabou sendo anulado por conta de um impedimento.

Já no segundo tempo, foi a vez das norte-americanas marcarem. Entretanto, assim como foi com as holandesas, o VAR entrou em ação novamente e acabou flagrando, porém desta vez por duas vezes, os gols marcados por Press e Morgan, ambos anulados também por impedimento.

PENALIDADES

Mesmo com as jogadas dos dois lados extremamente desgastadas após 120 minutos de bola rolando, foram as norte-americanas quem se deram melhor. Com as holandesas errando duas cobranças com Miedema e Nouwen, Lavelle, Morgan, Press e Rapinoe garantiram a vitória por 4 a 2 mantendo vivo o sonho da medalha de ouro.


FICHA TÉCNICA
HOLANDA x ESTADOS UNIDOS

Data e horário: 30/07/2021, às 8h (de Brasília; 20h no horário local)
​Local: Miyagi Stadium, em Miyagi (JAP)
Árbitra: Kate Jacewicz (AUS)
Assistentes: Min Kyoung Kim (COR) e Gi Seul Lee (COR)
VAR: Abdulla Al Marri (QAT)

Cartões Amarelos: Donk (HOL) / Horan (EUA)

Gols: Miedema, 18'/1ºT (1-0); Mewis, 28'/1ºT (1-1); Williams, 30'/1ºT (2-1); Miedema, 9'/2ºT (2-2)

HOLANDA: Van Veenendaal; Wilms, Van der Gragt, Nouwen e Janssen; Roord (Pelova, aos 7'/1ºP), Groenen, Van de Donk; Van de Sanden (Beerensteyn, aos 17'/2ºT), Martens e Miedema.
(Técnica: Sarina Wiegman)

ESTADOS UNIDOS: Naeher; O'Hara, Dahlkemper, Saeubrunn e Dunn; Ertz, Horan e Mewis (Lavelle, aos 12'/2ºT); Williams (Press, aos 12'/2ºT), Heath (Rapinoe, aos 19'/2ºT) e Lloyd (Morgan, aos 12'/2ºT).
(Técnico: Vlatko Andonovski)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos