Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    50.588,19
    +2.915,90 (+6,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

Nos EUA, McLanche Feliz cria mercado paralelo e infla preços de cards de Pokémon

Felipe Demartini
·3 minuto de leitura

Nos Estados Unidos, o brinde da vez do McLanche Feliz (lá fora conhecido como Happy Meal) são cards de Pokémon, em comemoração aos 25 anos da série. Cada caixinha vem com uma carta aleatória e colecionável, com direito a diferentes níveis de raridade e algumas unidades holográficas. Tais aspectos combinados geraram um bizarro, mas totalmente esperado, mercado paralelo de brindes, com preços inflados e até mesmo desvio de mercadorias.

As caixas comemorativas, para começar, não estão disponíveis em todas as unidades do McDonald’s nos Estados Unidos, o que significa que colecionadores de dezenas de cidades norte-americanas ficaram sem acesso a elas. Enquanto isso, nas cidades onde a promoção foi iniciada, nesta semana, foram registradas longas filas, que se formaram ainda durante a madrugada para garantir os brindes, incluindo relatos de pessoas jogando comida fora para ficar apenas com os cards e embalagens de papelão.

A loucura é tamanha que também se transformou em oportunidade de conteúdo para criadores, que compram dezenas de unidades para abrir os packs ao vivo e descobrir quais cards foram obtidos. Enquanto isso, nas redes sociais, se acumulam os relatos de esgotamento de embalagens e packs com cartas devido à alta demanda. Rapidamente, claro, a internet também foi tomada por anúncios desse tipo.

Os cards são aleatórios e vêm embalados em envelopes fechados com quatro unidades cada — tais itens, agora, são vendidos no eBay por cerca de US$ 20, aproximadamente, R$ 106, enquanto lotes com as três diferentes versões da caixinha do McLanche Feliz, com a imagem do Pikachu, saem por aproximadamente US$ 30, ou cerca de R$ 160.

É aí que entra a parte mais bizarra da história, que envolve até mesmo o desvio de caixas com lotes inteiros de pacotes ou embalagens. As remessas, que deveriam chegar às lojas e fazer parte dos kits com lanches, são vendidas por valores entre US$ 900 e US$ 1.000, na faixa dos R$ 5 mil, já que, na teoria, incluiriam o lote completo disponibilizado pela rede, com cerca de 50 cartas colecionáveis e diversas repetições.

Apenas a título de comparação, no Brasil, onde a promoção não está disponível, um McLanche Feliz sai por a partir de R$ 23,90, enquanto o brinde, separadamente, custa R$ 17. Nos EUA, o Happy Meal tem um valor médio de US$ 3,70, aproximadamente R$ 20. Já os cards de Pokémon lançados oficialmente no Brasil podem ser encontrados por até R$ 10 na embalagem com seis unidades, mas, claro, sem a exclusividade da promoção do McDonald’s americano.

O McDonald’s ainda não se pronunciou sobre o assunto, mesmo com muitos usuários acionando as redes sociais da empresa sobre o desvio de lotes completos e o superfaturamento de cartas motivado pela escassez. Oficialmente, a promoção tem tempo limitado, mas não se sabe exatamente quando ela vai terminar nem se pode ser estendida diante da grande demanda.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: