Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.910,10
    -701,55 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.661,86
    +195,84 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,29
    +0,68 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.790,10
    -3,00 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    37.722,99
    +623,00 (+1,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    863,83
    +21,37 (+2,54%)
     
  • S&P500

    4.431,85
    +105,34 (+2,43%)
     
  • DOW JONES

    34.725,47
    +564,69 (+1,65%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.430,25
    +443,50 (+3,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9813
    -0,0427 (-0,71%)
     

Nos EUA, homem minera criptomoedas com Tesla e fatura R$ 4,5 mil por mês

·1 min de leitura
Foto: Reprodução da internet.
Foto: Reprodução da internet.
  • Siraj Raval afirma que ganha ao menos US$ 800 por mês minerando criptomoedas em um Tesla Model 3;

  • O cientista de dados diz que hackeou o automóvel para transformá-lo em uma plataforma de mineração;

  • Segundo Raval, uma das técnicas utilizadas foi hackear a CPU nativa do Tesla.

Siraj Raval, cientista de dados, professor de I.A. e autor, afirma que arrecada pelo menos US$ 800, cerca de R$ 4,5 mil, por mês minerando criptomoedas no seu carro Tesla Model 3.

O dono do veículo diz que o hackeou para transformá-lo em uma plataforma de mineração de criptoativos. Segundo Raval, o valor arrecadado é suficiente para pagar a mensalidade do automóvel.

Leia também:

Por meio de um software de mineração instalado em um Notebook Mac, o cientista de dados transformou o Tesla Model 3, um automóvel totalmente elétrico, em uma máquina de gerar receita autossuficiente.

As GPUs foram conectadas ao sistema elétrico do carro. Desse modo, a enorme bateria age como fonte de energia que contribui para a redução dos custos de manutenção. Mesmo afetando a garantia do veículo, o cientista de dados diz que a transformação vale a pena.

O dono do automóvel afirma que as GPUs conectadas no porta-malas dianteiro possibilitaram a execução das placas de vídeos interconectadas utilizando a bateria interna.

Raval alega que outra técnica usada é a de hackear a CPU nativa do veículo. Por meio da linguagem de programação JavaScript, ele ajustou as unidades centrais de processamento do carro.

Segundo o cientista de dados, o Tesla é um “computador com rodas”, e afirma que invadi-lo é "muito fácil". Ao todo, são cinco GPUs conectadas que permitem Raval minerar Ethereum.

As informações são do Livecoins.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos