Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    35.545,30
    +69,79 (+0,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.017,75
    -138,50 (-0,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Nomura entre empresas que estudam vacinar funcionários no Japão

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Nomura e Daiwa Securities estão entre as empresas que avaliam oferecer vacinas contra a Covid-19 para funcionários no Japão, enquanto o país busca acelerar a campanha de imunização por meio do setor privado.

Embora ainda não haja detalhes sobre como o governo central distribuirá as vacinas, as corretoras fazem parte de uma lista de grandes empresas, incluindo Toyota e SoftBank, que estudam vacinar os empregados. Isso poderia aumentar o acesso à população em geral depois de um início lento com foco em profissionais de saúde e idosos.

A agência reguladora do setor financeiro solicitou que as empresas do segmento preencham um questionário, desde quantos funcionários devem ser vacinados até o número de profissionais de saúde que estariam envolvidos, de acordo com a Associação de Negociadores de Valores Mobiliários do Japão. O país vai iniciar as vacinações nos locais de trabalho a partir de 21 de junho com o imunizante da Moderna, disse esta semana o secretário-chefe de gabinete, Katsunobu Kato.

O setor privado tem criticado o lento programa de vacinação do Japão. Empresas de maior porte têm recursos para contribuir, visto que muitas contam com médicos internos que costumam vacinar funcionários contra a gripe.

“É ótimo em termos de acelerar as vacinações no Japão”, disse Kohei Onozaki, professor de política de saúde na Universidade St. Luke’s International, em Tóquio. “Muitas grandes empresas têm médicos do trabalho. Fabricantes também contam com infraestrutura para a promoção da saúde e exames médicos dentro das empresas.”

Ainda assim, Onozaki disse que a vacinação no local de trabalho pode ser um desafio maior para pequenas e médias empresas. A participação desse grupo é fundamental, visto que empregam a maior parte da força de trabalho japonesa.

O ritmo de vacinação aumentou nas últimas semanas, com várias iniciativas sendo implementadas ou em discussão para acelerar a campanha, como a expansão de pessoas qualificadas para administrar as vacinas. Mas, com apenas cerca de 8% da população vacinada com uma única dose, o Japão ainda está em último lugar entre os países do G7, segundo dados compilados pela Bloomberg.

A insatisfação da população com o ritmo de vacinação no Japão é alta. Cerca de 72% dos entrevistados em uma pesquisa publicada pelo jornal Nikkei esta semana acham que o programa de vacinas não está indo bem, enquanto 77% culparam o fracasso do governo em se preparar pela situação, pelo menos em parte.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos