Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.964,01
    +1.054,98 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.655,29
    -211,86 (-0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,48
    +0,20 (+0,31%)
     
  • OURO

    1.837,10
    +1,00 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    56.318,30
    +660,94 (+1,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.513,93
    +1.271,26 (+523,84%)
     
  • S&P500

    4.152,10
    -36,33 (-0,87%)
     
  • DOW JONES

    34.269,16
    -473,66 (-1,36%)
     
  • FTSE

    6.947,99
    -175,69 (-2,47%)
     
  • HANG SENG

    28.013,81
    -581,89 (-2,03%)
     
  • NIKKEI

    28.608,59
    -909,71 (-3,08%)
     
  • NASDAQ

    13.317,75
    -28,25 (-0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3433
    -0,0021 (-0,03%)
     

Nokia é a marca de Android mais durável e segura, aponta pesquisa

Felipe Junqueira
·3 minuto de leitura

A Counterpoint Research divulgou um novo relatório sobre o índice de confiabilidade das fabricantes de smartphones e destacou o desempenho da HMD/Nokia, que liderou o ranking pelo segundo ano. Em resumo, a empresa foi a mais rápida a oferecer atualizações do sistema e de segurança, além de entregar celulares com durabilidade acima da média.

O estudo leva em conta quatro “pilares de confiabilidade”: atualizações de segurança, atualizações de software, qualidade da construção e recomendação para uso corporativo. Nos dois primeiros, a Nokia conseguiu a impressionante marca de 100% de seu portfólio sempre em dia com a versão do sistema e pacotes de segurança mensais. E isso com 20 modelos disponíveis nas prateleiras entre o terceiro trimestre de 2019 e o segundo de 2020.

A OnePlus conseguiu marca semelhante, mas com apenas 7 modelos diferentes em seu catálogo, por isso ficou com a segunda posição. E considerando o total de celulares atualizados para a versão do sistema, a Samsung ocupa a terceira colocação, com 89%, enquanto a Realme fica em quarto, com 73%, e a Xiaomi em quinto, com 68%, seguida de perto pela Huawei, que levou o Android 10 a 66% de seus smartphones vendidos no período analisado.

Versão do Android nos celulares das principais fabricantes (Imagem: Reprodução/Counterpoint Research)
Versão do Android nos celulares das principais fabricantes (Imagem: Reprodução/Counterpoint Research)

Mas isso é apenas considerando os modelos que trazem ou foram atualizados para a versão mais recente do Android. Quando analisada a questão das atualizações mensais — os pacotes de segurança — o ranking muda um pouco. Nokia e OnePlus seguem à frente, mas a Lenovo, que inclui celulares Motorola, salta para a terceira colocação, com 83% do catálogo frequentemente atualizado. Realme e Xiaomi ficam na quarta e quinta colocação, com 70% e 67%, respectivamente.

A Samsung tem apenas 22% de seus aparelhos atualizados todo mês, ficando quase todos os outros restritos a updates trimestrais. A Huawei também tem poucos modelos com pacotes de segurança mensais, ficando com 29%, mas deixa uma parcela maior de modelos sem nem mesmo updates a cada três meses.

Atualizações de segurança nos celulares de cada fabricante Android (Imagem: Reprodução/Counterpoint Research)
Atualizações de segurança nos celulares de cada fabricante Android (Imagem: Reprodução/Counterpoint Research)

Ranking geral

Por fim, considerando todos os quatro pilares, a Nokia chegou a 85 de pontuação, e liderou todos os quesitos. A OnePlus ficou na segunda colocação, com 80, e também conseguiu a segunda melhor pontuação em cada ponto. A Samsung foi a terceira colocada, destacando-se na qualidade de construção de seus aparelhos, e alcançado pontuação final de 72.

Ranking de confiança com base em atualizações e durabilidade do hardware (Imagem: Reprodução/Counterpoint Research)
Ranking de confiança com base em atualizações e durabilidade do hardware (Imagem: Reprodução/Counterpoint Research)

O relatório finaliza com alguns pontos-chave, entre eles uma mudança de comportamento do consumidor frente à pandemia de COVID-19, que “destaca nossa confiança crescente nos dispositivos e a consequente importância em manter os celulares seguros e atualizados”. O tempo médio que cada pessoa passa com o mesmo aparelho aumento, ficando agora em torno de 30 meses — ou seja, dois anos e meio, o que reforça a importância de as fabricantes garantirem atualizações por mais tempo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: