Mercado fechará em 2 h 32 min
  • BOVESPA

    95.080,02
    -288,73 (-0,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.861,86
    -531,85 (-1,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    35,87
    -1,52 (-4,07%)
     
  • OURO

    1.871,20
    -8,00 (-0,43%)
     
  • BTC-USD

    13.488,46
    +333,09 (+2,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    265,44
    +22,76 (+9,38%)
     
  • S&P500

    3.298,47
    +27,44 (+0,84%)
     
  • DOW JONES

    26.586,12
    +66,17 (+0,25%)
     
  • FTSE

    5.585,21
    +2,41 (+0,04%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.307,00
    +174,25 (+1,57%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7332
    -0,0012 (-0,02%)
     

No lado afastado da Lua, nova missão vai investigar o surgimento das estrelas

Danielle Cassita
·2 minutos de leitura

O momento da formação das estrelas nos primeiros milhares corridos após o início do universo é um mistério para os astrônomos. Então, a NASA e centro de pesquisa National Radio Astronomy Observatory (NRAO) querem lançar uma pequena nave, que ficará posicionada no lado afastado da Lua, para investigar melhor esta questão através de ondas de rádio em nuvens de hidrogênio.

A ideia é identificar a energia das nuvens de hidrogênio em ondas de rádio, que contêm pistas sobre a formação das estrelas, porque essas formações remetem aos primeiros milhares de anos após a ocorrência do Big Bang, durante a chamada Era das Trevas. Então, a missão será realizada no lado afastado da Lua devido à dificuldade de identificar sinais de rádio na Terra, já que a maior parte deles é bloqueada pela atmosfera e o que resta fica difuso no meio de outras transmissões.

Ilustração da missão DAPPER (Imagem: Reprodução/NRAO/AUI/NSF, Sophia Dagnello/NRAO)
Ilustração da missão DAPPER (Imagem: Reprodução/NRAO/AUI/NSF, Sophia Dagnello/NRAO)

Assim, a missão Dark Ages Polarimetry Pathfinder (DAPPER), uma pequena nave, irá para a órbita lunar em busca de sinais de rádio das primeiras etapas do universo. Esses sinais são fracos e existem em meio a outros mais brilhantes. A nave conta com receptor de rádio e antena de alta frequência, desenvolvidos por equipes do NRAO sob a liderança do pesquisador e engenheiro Richard Bradley. Ele explica que, atualmente, nenhum radiotelescópio na Terra pode medir com precisão o sinal de hidrogênio dos primeiros momentos do universo. “Estamos desenvolvendo técnicas especializadas que potencializam o processo das medidas do DAPPLER, para separarmos o sinal de todo o ruído”, comenta.

Então, o DAPPER deverá fazer parte do programa Artemis, da NASA, que levará a primeira mulher e o próximo homem para a Lua em 2024. O potencial da DAPPLER está no fato de ser um projeto mais barato e de construção mais fácil do que uma missão em escala completa. Nos próximos anos, o NRAO vai desenvolver no protótipo para o receptor, que será testado no laboratório Space Sciences Laboratory. "As contribuições da DAPPER para o sucesso da missão ARTEMIS vão construir o crescimento rápido da pesquisa de radioastronomia no espaço que vimos na última década”, diz Tony Beasley, diretor do NRAO.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: