Mercado abrirá em 8 h 3 min
  • BOVESPA

    122.937,87
    +1.057,05 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.371,98
    +152,72 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,49
    +0,22 (+0,33%)
     
  • OURO

    1.868,50
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    45.352,93
    +1.966,60 (+4,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.260,07
    +62,15 (+5,19%)
     
  • S&P500

    4.163,29
    -10,56 (-0,25%)
     
  • DOW JONES

    34.327,79
    -54,34 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.032,85
    -10,76 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.545,20
    +351,11 (+1,25%)
     
  • NIKKEI

    28.407,35
    +582,52 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    13.345,50
    +42,00 (+0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4165
    +0,0066 (+0,10%)
     

No Dia Nacional do livro infantil, conheça atores mirins que também são autores

Extra
·3 minuto de leitura

Em tempos de internet e jogos eletrônicos, atores mirins que brilham na TV estão contando estórias, escrevendo livros e incentivando a leitura. Com apenas 7 anos, Ygor Marçal, o Mosquito da novela "Salve-se quem puder", já tem três livros escritos (que serão publicados em breve) e outros dois em produção. Neste domingo, 18 de abril, em que se celebra o dia Nacional do Livro Infantil — data em homenagem ao nascimento de Monteiro Lobato, o pai da literatura infantil brasileira — conheça algumas estrelas mirins que, assim como o Ygor, também são autores.

Aos 7 anos, Ygor Marçal, de 'Salve-se quem puder', tem três livros escritos

Apaixonado por leitura, Ygor Marçal começou a escrever no início da pandemia, em março do ano passado e produziu, inclusive, um livro infantil sobre a Covid-19.

— Quando chegou a pandemia, eu me vi muito triste e sem ter o que fazer dentro de casa.
Mas como sempre gostei de livros e fui praticamente adotado por várias editoras que me presenteiam, recebo sempre livros em casa, e só aumentou meu amor pelos livros. Um belo dia decidi escrever também —, conta o ator mirim.

Veja as obras de Igor Marçal:

"As Aventuras do Pequeno Reino": Que narra a estória de dois tipos de reino, onde um era todo organizado e limpo, e outro bem sujo. Foi aí que os cinco Reis decidiram transformar o Pequeno Reino.

"Papai Noel Falso": Que conta a estória de Gabriel, um ex-morador que nunca teve presente no Natal e que decide fazer uma maldade com o Papai Noel.

"Combate a COVID 19 - Eu Venci e você também pode vencer": Várias crianças podem vencer a COVID fazendo coisas e se divertindo dentro de casa inventando várias formas de ser feliz sem ter que absorver toda essa tristeza que está em todo o mundo.

O ator mirim conta que está produzindo mais dois livros e que participou do Projeto Ilustra Criança, idealizado pela professora Lucimar Cunha, autora do livro "Preto pretinho, negro neguinho", desenhado e editado por Igor.

Marjorie Queiroz, de 'Éramos seis', já escreveu quatro livros aos 11 anos

Marjorie Queiroz, a Emiliana de "Éramos seis", tem 11 anos e escreveu seu primeiro livro (sobre cães abandonados) aos 6, num projeto da escola onde ela estuda. Aos 12, produziu o segundo, sobre poluição e preservação do ambiante. Em 2019, fez um livro sobre a injustiça com as pessoas deficientes. O quarto e último, foi escrito no ano passado e conta a estória da sua cadelinha, Cacau.

— Ainda quero escrever muito mais. É maravilhoso compartilhar uma boa história com as pessoas. A leitura é um passatempo que nos enriquece. Crescemos e nos tornamos melhores a cada livro lido. Mergulhar em cada aventura, cada personagem, poder estar em qualquer lugar do universo, em qualquer época, seja no passado, presente ou futuro e ser quem a gente quiser... Enfim, um livro é um passaporte transformador —, diz.

Miguel Schmid, de 'Um lugar ao sol', é autor de dois livros

Miguel Schmid, que está no elenco de "Um lugar ao sol", próxima novela das 9, é autor de três livros.

— Sempre gostei de estórias. Sempre brincava de maratona de livros e o passeio preferido era a livraria. Na escola, no ensino infantil e no fundamental, descobri que podia participar dos projetos e começar a escrever. Escreveu três livros, dois, em conjunto com sua turma, o "Caixalote" (a estória de uma baleia em perigo), e "Uma aventura em retalhos", que fala de um guerreiro.

Aos 11 anos, ele também escreveu uma versão de "Chapeuzinho vermelho" falando sobre resiliência. Miguel começou a ler com 5 anos e criou um projeto de leitura onde cada livro lido era anotado. Aos 8, já tinha lido 500 livros sozinho. Ele também escreve pequenos roteiros e textos e um desses já virou monólogo.