Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.646,40
    -989,99 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.125,71
    -369,70 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,30 (+0,57%)
     
  • OURO

    1.872,00
    +31,80 (+1,73%)
     
  • BTC-USD

    35.052,24
    +652,27 (+1,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    696,42
    -4,19 (-0,60%)
     
  • S&P500

    3.851,85
    +52,94 (+1,39%)
     
  • DOW JONES

    31.188,38
    +257,86 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.962,47
    +320,19 (+1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.523,26
    -110,20 (-0,38%)
     
  • NASDAQ

    13.290,50
    +305,00 (+2,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4074
    -0,0912 (-1,40%)
     

No colégio eleitoral de Doria em SP, cadeirante tenta entrar com carro e ofende seguranças

·2 minuto de leitura
Caso aconteceu na escola St. Paul's, mesmo colégio eleitoral do governador João Doria (Foto: Vinicius Custódio)
Caso aconteceu na escola St. Paul's, mesmo colégio eleitoral do governador João Doria (Foto: Vinicius Custódio)

Na manhã deste domingo, 29, um homem xingou e ofendeu seguranças em frente ao colégio St. Paul’s, em São Paulo, mesmo local onde vota o governador João Doria (PSDB). O eleitor, que usa cadeira de rodas, queria entrar com o carro dentro da escola e foi proibido por funcionários do local.

O homem pediu para entrar com o carro e, ao receber a resposta negativa de uma segurança, começou a xingar a funcionária e mandou a mulher “calar a boca”. Ela, então, chamou policiais que estavam do outro lado da rua.

Leia também

Autoridades tentaram acalmar e situação. Por fim, o homem saiu do veículo e usou a cadeira de rodas para entrar na escola. No entanto, ele não usava máscara ao adentrar o colégio eleitoral. Na saída, ele estava com o item de proteção.

Um dos seguranças, que não quis se identificar, reclamou da atitude do eleitor. “Acha que tem dinheiro e pode fazer qualquer coisa”, disse sobre o homem, que estava em um carro de luxo.

Eleições em São Paulo

São Paulo é o maior colégio eleitoral do Brasil com quase 9 milhões de pessoas aptas a votar. Com 32.85% dos votos válidos no primeiro turno, Bruno Covas (PSDB) enfrenta Guilherme Boulos (PSOL) que teve 20.24% dos votos válidos..

Covas é prefeito da cidade desde 2018, quando assumiu após o prefeito eleito João Doria (PSDB) deixou o cargo para disputar — e ganhar — o Governo do Estado. Foi Bruno quem esteve à frente da cidade na pandemia do coronavírus.

Já Boulos ficou nacionalmente conhecido em 2018, quando foi candidato do PSOL à presidência. Conhecido por sua atuação com o MTST, ele é professor e concorre pela primeira vez ao cargo. Sua vice, Luiza Erundina, foi prefeita de São Paulo no final da década de 1980.

Eleições municipais em todo país

As Eleições 2020 moveram praticamente todo país neste domingo. Por conta do coronavírus, essa foi uma eleição diferente, com horários estendidos e mais critérios de segurança sanitária.

Uma questão que levanta muitas dúvidas ao longo processo é o famoso coeficiente eleitoral. Bem resumidamente, é a divisão do número de eleitores pelo número de vagas (nós explicamos com detalhes AQUI). Cada cidade, então, tem seu coeficiente eleitoral.

Caso não esteja presente na cidade onde você está apto para votar, é possível justificar seu voto. Para saber como, siga nosso guia clicando AQUI.

O que faz um prefeito?

O Estado se divide em três poderes o Executivo, Legislativo e Judiciário, e o prefeito é o chefe do Poder Executivo. Ou seja, é responsabilidade do prefeito administrar a cidade que exerce suas funções. Para mais detalhes da função CLIQUE AQUI e para saber quanto ganha um prefeito, CLIQUE AQUI.

Colaborou Vinicius Custódio