Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.486,01
    +1.576,40 (+1,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.684,86
    +1.510,80 (+3,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,60
    +0,05 (+0,06%)
     
  • OURO

    1.786,50
    +26,60 (+1,51%)
     
  • BTC-USD

    17.188,89
    +736,27 (+4,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    406,06
    +5,37 (+1,34%)
     
  • S&P500

    4.080,11
    +122,48 (+3,09%)
     
  • DOW JONES

    34.589,77
    +737,24 (+2,18%)
     
  • FTSE

    7.573,05
    +61,05 (+0,81%)
     
  • HANG SENG

    18.597,23
    +392,55 (+2,16%)
     
  • NIKKEI

    27.968,99
    -58,85 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    12.067,50
    +25,25 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3965
    -0,0601 (-1,10%)
     

Mesmo com 12% da água do planeta, Brasil tem 35 milhões de pessoas sem água potável

  • 35 milhões de pessoas no Brasil não têm água potável

  • Brasil tem 12% da água do planeta

  • 50% das pessoas no mundo subdesenvolvido consomes água poluída

Como ouvimos desde as primeiras aulas de Ciências, "a água é a condição fundamental para a vida na Terra". Mesmo sabendo dessa importância vital, o ser humano parece que não está cuidando como deveria dessa substância.

Quase 98% da água total do planeta são provenientes dos oceanos. As calotas polares e geleiras representam 2%. Água doce de lagos, água salgada de lagos, água misturada no solo e vapor d'água fecham essa conta.

Desse total, somente 2,4% são de água doce e 0,02% está disponível em lagos e rios que podem abastecer cidades para o consumo.

Para complicar ainda mais a situação, desse ínfimo percentual, grande parcela está poluída.

O quadro é desafiador. A ONU acredita que até 2050 aproximadamente 45% da população mundial não terão a quantidade mínima de água para consumir.

Vale destacar que a situação atual não é nada animadora também. No chamado mundo subdesenvolvido, cerca de 50% da população consome água poluída. No planeta inteiro, pelo menos 2,2 milhões de pessoas, principalmente crianças com menos de 5 anos de idade, morrem todos os anos em decorrência de água contaminada e sem tratamento.

35 milhões sem água potável

Nesse cenário desafiador, especialmente no Brasil, onde 35 milhões de pessoas não têm acesso à água potável, a PWTech tem uma proposta interessante. Criada com o objetivo de transformar água contaminada em água potável, a empresa tem parcerias com a Universidade Federal de São Carlos e realiza trabalhos para governos e entidades humanitárias, como a ONU.

Vale lembrar que essas 35 milhões de pessoas moram no país que detém 12% de toda a água do planeta.

Água potável é uma realidade distante para milhões de brasileiros
Água potável é uma realidade distante para milhões de brasileiros

"O PW 5660 trabalha com energia elétrica, solar, éolica, do gerador etc. Ele consegue funcionar até a partir das baterias de carro e moto. Essa capacidade de trabalhar com vários tipos de energia é muito interessante. Ele consegue distribuir até 6 mil litros de água potável por dia. Mais de 200 pessoas podem ser beneficiadas por equipamento", disse Fernando Silva, CEO da PWTech.

O PW 5660, no entanto, não trata qualquer tipo de água. Precisa ser água doce, como de rio, chuva e açude. Porém, novas versões estão sendo desenvolvidas para tratar águas com metais contaminantes e sais.

O CEO da PWTech lembrou que na agricultura e pecuária tudo é rastreável, até por causa da importância que o consumidor passou a dar para o caminho que determinado produto percorreu até chegar a sua casa. Isso não acontece com a água, por exemplo. E como estamos fazendo parcerias com startups desse segmento, eu acho que rapidamente vamos crescer no agronegócio", diz.

Vendas para governos e ONU

"Nossa primeira grande venda para a ONU foi financiada por um fundo japonês e que mandaram equipamentos para o IBAMA e ICMBio (Instituto Chico Mendes), que dispõe de brigadistas em parques federais e na própria floresta amazônica para apagar incêndios. E onde eles trabalham não há água para beber. Com o equipamento, eles podem continuar a jornada deles e aproveitam uma água de chuva, rio e lago para fazer uma água potável para consumo próprio", explica o executivo.

E o trabalho da PWTech não se restringe ao Brasil. Recentemente, eles foram chamados para fornecer o PW 5660 para a Ucrânia. "Colocamos 50 equipamentos dentro de um avião da FAB. Isso, hoje, fornece água potável para mais de 10 pessoas na Ucrânia", conta Fernando Silva.