Mercado fechado

Nissan nega rumores sobre vender sua participação na Mitsubishi

br.info@motor1.com (Nicolas Tavares)
·2 minuto de leitura
Nissan Z Proto
Nissan Z Proto

Marcas da Aliança trabalham em um plano para compartilhar desenvolvimento de veículos

A semana começou com uma reportagem da agência Bloomberg revelando que, segundo suas fontes, a Nissan está passando por um momento difícil por causa da pandemia e consideraria vender sua participação na Mitsubishi. Isto ajudaria a Nissan a ter mais dinheiro em caixa enquanto a indústria se recupera, mas iria bagunçar as coisas na Aliança Renault-Nissan.

Enquanto a Bloomberg não revela suas fontes, comentando apenas sobre a preocupação da Nissan sobre a recuperação da Mitsubishi após o coronavírus, a fabricante japonesa logo divulgou um posicionamento, refutando veementemente a possibilidade de vender a parceira. Segundo a empresa, "não há planos de rever o relacionamento financeiro com a Mitsubishi Motors."

A Nissan ainda diz que a Mitsubishi está trabalhando em uma reestruturação, que foi anunciada no começo do ano. Ela está alinhada ao plano "Nissan NEXT", com efeitos nas duas fabricantes. A empresa diz que "a aliança precisa focar nas especialidades de cada marca e fazer um uso melhor de seus atributos, o que é um pré-requisito para atingir o plano de médio prazo de cada fabricante."

A situação da Aliança Renault-Nissan

Em maio deste ano, a Aliança anunciou uma estratégia de médio prazo, criando um esquema de líder-seguidores para cada segmento no mercado global. Por exemplo, a Nissan ficará responsável por SUVs e modelos médios e grandes, enquanto a Renault desenvolverá os compactos. Com este modelo, a expectativa é reduzir os investimentos no desenvolvimento em até 40%.

Este plano também envolve entregar a liderança em algumas regiões do mundo. A Nissan fica com América do Norte, China e Japão. A Renault, por sua vez, será a líder na África, América do Sul, Europa e Rússia. Por fim, a Mitsubishi irá cobrir Ásia e Oceania. A apresentação adianta que a Renault irá desenvolver sete modelos com a plataforma CMF-B para o Brasil, com a Nissan lançando modelos derivados.

Considerando o posicionamento da Nissan, não há qualquer mudança nesta estratégia. A Mitsubishi terá um papel importante, aproveitando todo o conhecimento da marca no segmento das picapes com a L200 Triton, para ajudar na criação da próxima Nissan Frontier.


Source: Nissan, Bloomberg