Mercado fechará em 5 h 19 min

Nissan desmente notícia sobre rompimento de aliança com Renault

Poliana Santos
Nissan desmente notícia sobre rompimento de aliança com Renault

Após a notícia de um possível rompimento da aliança entre Nissan e a Renault, do jornal britânico "Financial Times", a montadora japonesa afirmou em nota, nesta terça-feira (14), que não possuí a intenção de encerrar a parceria com a fabricante de automóvel francesa.

"Esta aliança é a razão da competitividade da Nissan. Com esta parceria, que busca gerar crescimento estável e a longo prazo, a Nissan vai seguir obtendo resultados positivos para as três sociedades", disse a montadora japonesa.

Uma fonte próxima da Nissan desmentiu as informações do jornal britânico e disse que as pessoas que falaram ao veículo sobre o rompimento da aliança estavam descontentes com o grupo japonês e queriam "espalhar suas frustrações".

"A aliança Renault-Nissan não está morta. Logo, mostraremos. A aliança não está em absoluto neste ponto. Estamos recriando seu espírito original. O conselho do grupo que presido é de uma qualidade excepcional. Nunca foi vista tamanha boa relação cordial entre os diferentes líderes de nossos três grupos (Renault, Nissan e Mitsubishi) para fazer avançar aliança em uma boa direção", disse o presidente da Renault, Jean-Dominique Senard.

Notícia do FT sobre rompimento da Aliança Nissan-Renault

De acordo com o que foi noticiado pelo jornal britânico, os executivos da Nissan planejavam romper a aliança que dura quase 20 anos com a Renault. A decisão de avaliar uma possível separação demonstrava um sinal de tensão entre as montadoras após a prisão e fuga do ex-diretor da aliança, Carlos Ghosn.

O plano, segundo as fontes ouvidas, incluía uma divisão total entre a equipe de engenharia e de produção, assim como o conselho administrativo. No entanto, ainda não ficou claro o quão viável seria esse rompimento, visto que, a Renault é a maior acionista da montadora japonesa.

Confira Também: Renault, Nissan e Mitsubishi elegem secretário-geral para comandar aliança

Além disso, as fontes afirmaram que os executivos avaliam a parceria com a Renault como "tóxica" e acreditam que a divisão seria o melhor para ambas as empresas que procurariam novas alianças

O conselho da Renault-Nissan deve se reunir no dia 30 de janeiro e a reunião poderá terminar com anúncios sobre os projetos conjuntos. Procurados pelo jornal britânico, a Nissan não respondeu por ser feriado no Japão na última segunda-feira (6) e a Renault não quis comentar o assunto.