Mercado fechará em 4 h 30 min
  • BOVESPA

    110.813,45
    -1.110,48 (-0,99%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,23 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,15
    +2,17 (+2,71%)
     
  • OURO

    1.804,70
    -4,90 (-0,27%)
     
  • BTC-USD

    17.218,55
    +276,88 (+1,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    407,88
    -3,34 (-0,81%)
     
  • S&P500

    4.043,86
    -27,84 (-0,68%)
     
  • DOW JONES

    34.218,04
    -211,84 (-0,62%)
     
  • FTSE

    7.582,79
    +26,56 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    19.518,29
    +842,94 (+4,51%)
     
  • NIKKEI

    27.820,40
    +42,50 (+0,15%)
     
  • NASDAQ

    11.934,50
    -75,75 (-0,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5308
    +0,0368 (+0,67%)
     

Nintendo: retrocompatibilidade no Switch é fácil, mas não temos interesse

Se você é um nintendista de carteitinha e gostaria de ver a Nintendo investindo mais em retrocompatibilidade, saiba que isso não está nos planos da empresa e quem disse foi o próprio Shigeru Miyamoto, lendário produtor dos games de Mario e companhia.

Na apresentação do balanço trimestral da empresa, Miyamoto chegou a comentar sobre jogos antigos e como eles poderiam ser incluídos no ecossistema do Nintendo Switch de maneira mais consistente. Atualmente, isso é feito somente com títulos do Super Nintendo e do NES, por meio de emulação.

Segundo Miyamoto, muito embora isso seja mais fácil de fazer atualmente com as novas tecnologias e técnicas de desenvolvimento e adaptação, a Nintendo está mais preocupada em criar experiências novas para os jogadores em vez de simplesmente trazer os games antigos.

Vale lembrar que a empresa já fez isso no passado com Nintendo Wii U, possibilitando que as pessoas pudessem jogar os games do Wii no console, além de emular muitos títulos no Virtual Console, uma espécie de emulador interno que estava disponível para ambos os videogames e também para o Nintendo 3DS.

Quem é do mundo dos games sabe que a biblioteca de jogos da Nintendo é das mais ricas do mercado. Mas também sabe que a empresa costuma não ser amigável com isso, despejando processos por aí sempre que pode.

Atualmente, a Microsoft, com o Xbox Game Pass e seu universo bem consolidado de retrocompatibilidade, e a Sony, em um patamar menor, com o PlayStation 5, investiram nesse expediente e os jogadores parecem bem satisfeitos. Com uma biblioteca quase imbatível, parece um desperdício por parte da Nintendo não aproveitar isso.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: