Mercado fechará em 2 h 14 min
  • BOVESPA

    109.212,03
    +1.833,11 (+1,71%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.665,72
    +398,52 (+0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,93
    +1,87 (+4,34%)
     
  • OURO

    1.803,30
    -34,50 (-1,88%)
     
  • BTC-USD

    19.211,94
    +759,97 (+4,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    381,05
    +11,30 (+3,06%)
     
  • S&P500

    3.630,39
    +52,80 (+1,48%)
     
  • DOW JONES

    30.023,89
    +432,62 (+1,46%)
     
  • FTSE

    6.424,34
    +90,50 (+1,43%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.014,25
    +109,00 (+0,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3946
    -0,0457 (-0,71%)
     

Ninho de 'vespas gigantes assassinas' é encontrado e destruído nos EUA

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
TOPSHOT - Sven Spichiger, Washington State Department of Agriculture managing entomologist, displays a canister of Asian giant hornets vacuumed from a nest in a tree behind him on October 24, 2020, in Blaine, Washington. - Scientists in Washington state discovered the first nest earlier in the week of so-called murder hornets in the United States and worked to wipe it out Saturday morning to protect native honeybees. Workers with the state Agriculture Department spent weeks searching, trapping and using dental floss to tie tracking devices to Asian giant hornets, which can deliver painful stings to people and spit venom but are the biggest threat to honeybees that farmers depend on to pollinate crops. (Photo by Elaine Thompson / POOL / AFP) (Photo by ELAINE THOMPSON/POOL/AFP via Getty Images)
Pesquisador exibe uma lata de vespas gigantes asiáticas aspiradas de um ninho em uma árvore atrás dele em 24 de outubro de 2020, em Blaine, Washington. (Foto de ELAINE THOMPSON / POOL / AFP via Getty Images)

Cientistas dos Estados Unidos exterminaram um ninho de vespas gigantes asiáticas, encontrado na cidade de Blaine no estado de Washington, no último sábado (24). Essa foi a primeira vez em que um abrigo do inseto da espécie Vespa-mandarina é localizado e destruído nos EUA.

Nativas da Ásia, as vespas gigantes foram avistadas pela primeira vez nos Estados Unidos em dezembro do ano passado, e sua presença vem provocando alarme entre apicultores e entomologistas americanos.

Essas vespas são as maiores do mundo e liberam uma toxina tão potente que pode causar a morte de uma pessoa que tiver levado várias picadas, mesmo se não for alérgica. Sua picada é descrita como extremamente dolorosa, e o ferrão é tão longo que pode penetrar até mesmo o traje de proteção usado por apicultores.

Leia também

Podendo medir mais de 5 cm, as vespas gigantes asiáticas são capazes de destruir uma colmeia de abelhas em poucas horas. Os insetos dessa espécie chegam a ser três vezes maiores que as abelhas. Elas invadem e ocupam as colmeias, matando as abelhas adultas e devorando as larvas e pupas.

O ninho destruído foi localizado após especialistas colocarem rastreadores em vespas da espécie, avistadas pela primeira vez na região em 2019. Cerca de 200 vespas viviam no ninho que foi sugado por uma mangueira a vácuo colocada em uma árvore onde os insetos estavam. A árvore também será cortada para remover quaisquer outros resquícios do abrigo.

Washington State Department of Agriculture workers work to vacuum a nest of Asian giant hornets from a tree Saturday, Oct. 24, 2020, in Blaine, Wash. Scientists in Washington state discovered the first nest earlier in the week of so-called murder hornets in the United States and worked to wipe it out Saturday morning to protect native honeybees.   (AP Photo/Elaine Thompson)
Servidores do Departamento de Agricultura do Estado de Washington trabalham para aspirar um ninho de vespas gigantes asiáticas de uma árvore no sábado, 24 de outubro de 2020, em Blaine, Wash. Cientistas no estado de Washington descobriram o primeiro ninho no início da semana das chamadas vespas assassinas em os Estados Unidos e trabalharam para eliminá-lo na manhã de sábado para proteger as abelhas nativas. (AP Photo / Elaine Thompson)

‘FORÇA-TAREFA’ CONTRA OS NINHOS

Em maio deste ano, autoridades e pesquisadores dos EUA lançaram um esforço para tentar localizar e erradicar os ninhos dessa espécie invasora antes que ela possa se estabelecer no país e arrasar a população de abelhas, já em declínio por causa de fatores como doenças, uso de pesticidas e perda de habitat.

Para a população de abelhas, porém, sua presença pode ser devastadora, com impacto não apenas na produção de mel, mas também nas diversas culturas que dependem da polinização, como maçã, cereja, framboesa, mirtilo e amêndoas.

Moradores e apicultores se uniram aos esforços, espalhando mais de 1,3 mil armadilhas pela região. No dia 14 de julho, uma dessas vespas foi capturada em uma armadilha instalada pelo WSDA no condado de Whatcom. Depois de análises em laboratório, cientistas confirmaram no dia 29 de julho que realmente se tratava de uma vespa gigante asiática.

Ainda não se sabe como as vespas gigantes asiáticas chegaram aos Estados Unidos. Uma das teorias é a de que tenham sido transportadas em navios de carga. Também podem ter sido trazidas deliberadamente.

Em agosto de 2019, uma dessas vespas já havia sido detectada no Canadá, na província de British Columbia, que faz fronteira com Washington.