Mercado abrirá em 1 h 37 min
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,39
    +0,54 (+0,74%)
     
  • OURO

    1.782,90
    +5,50 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    34.016,28
    +2.401,55 (+7,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    813,96
    +19,63 (+2,47%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.105,75
    +15,74 (+0,22%)
     
  • HANG SENG

    28.817,07
    +507,31 (+1,79%)
     
  • NIKKEI

    28.874,89
    -9,24 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    14.260,75
    +2,50 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9546
    +0,0348 (+0,59%)
     

Nigéria ordena que emissoras de TV e rádio desconsiderem o Twitter

·2 minuto de leitura
Nigéria ordena que emissoras de TV e rádio desconsiderem o Twitter
Nigéria ordena que emissoras de TV e rádio desconsiderem o Twitter

Nesta segunda-feira (7), a National Broadcasting Commission, órgão regulador de radiodifusão da Nigéria, ordenou que as emissoras de rádio e TV do país devem passar a desconsiderar o Twitter como fonte de informações.

De acordo com o TechCrunch, a nova proibição surge dias após o governo nigeriano suspender as operações do Twitter no país. A suspensão ocorreu após a rede social ter excluído um tweet do presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari.

Na mensagem publicada no microblog, o presidente ameaçava punir os separatistas da parte sudeste do país. Além disso, o governo também alegou que o Twitter tenta “minar sua existência corporativa”.

Bandeira da Nigéria
Nigéria ordena que emissoras de TV e rádio desconsiderem o Twitter. Imagem: Shutterstock

Desde sábado os nigerianos não conseguem acessar seus perfis no Twitter, pois, as operadoras de telecomunicação do país restringiram o acesso à plataforma. No entanto, grande parte da população ignorou a decisão do governo e passou a utilizar VPNs e outras ferramentas alternativas para entrar na rede social.

Para amedrontar a população e garantir o efeito oficial da proibição imposta, o procurador geral da Nigéria e ministro da Justiça, Abubakar Malami, emitiu uma nota oficial solicitando que diretor do Ministério Público da Federação (DPPF) da Procuradoria Geral da Federação e do Ministro da Justiça entre em ação e inicie um processo de acusação de infratores que não respeitarem a nova lei do governo.

Leia também!

Consequências da proibição

A medida tomada pelo governo da Nigéria repercutiu negativamente em todo o mundo. Uma declaração conjunta da União Europeia, Estados Unidos, Canadá e Reino Unido expressa a decepção com a proibição e pede que o governo de Buhari reavalie a decisão.

Após a pressão externa, o governo nigeriano adotou um discurso mais brando, afirmando que a proibição seria temporária. “Tem havido uma série de problemas com a plataforma de mídia social na Nigéria, onde a desinformação e notícias falsas espalhadas por ela tiveram consequências violentas no mundo real”, disse a nota oficial.

O porta-voz do governo apontou que o Twitter permitiu “a difusão de mensagens religiosas, racistas, xenófobas e falsas que podem separar alguns países”.

No entanto, a declaração divulgada hoje pela Nigéria deixa claro que a rusga entre o governo e o Twitter segue firme. O órgão regulador de radiodifusão apontou que as emissoras que não respeitarem a decisão estarão adotando uma atitude “antipatriótica”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos