Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.247,15
    -2.542,18 (-2,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.394,03
    -1.070,00 (-2,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,92
    -1,67 (-1,52%)
     
  • OURO

    1.814,60
    -1,30 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    28.795,15
    -1.688,55 (-5,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,57
    -20,11 (-3,00%)
     
  • S&P500

    3.923,68
    -165,17 (-4,04%)
     
  • DOW JONES

    31.490,07
    -1.164,52 (-3,57%)
     
  • FTSE

    7.438,09
    -80,26 (-1,07%)
     
  • HANG SENG

    20.644,28
    +41,76 (+0,20%)
     
  • NIKKEI

    26.911,20
    +251,45 (+0,94%)
     
  • NASDAQ

    11.834,00
    -101,50 (-0,85%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2234
    +0,0051 (+0,10%)
     

Netflix é acusada de mentir e acionistas pedem indenização; entenda

Smartphone with Netflix logo is placed on a keyboard in this illustration taken April 19, 2022. REUTERS/Dado Ruvic
Queda nas ações e perda de assinantes gerou prejuízos para os donos de papéis a empresa

(REUTERS/Dado Ruvic)

  • Netflix está sendo acusada de omitir informações importantes sobre seu crescimento;

  • Acionistas pedem que empresa pague indenizações para compensar perdas financeiras;

  • Streaming tem enfrentado uma onda de azar, com queda de ações, assinantes e concorrência acirrada.

A Netflix está sendo acusada, por seus acionistas, de ocultar previsões negativas relacionadas ao futuro do negócio e realizar afirmações falsas ou enganosas sobre seu crescimento. Eles agora pedem que a empresa pague indenizações para compensar as perdas financeiras.

A ação judicial foi movida no Tribunal de São Francisco, na Califórnia (EUA), em nome de todos os acionistas da gigante entre outubro de 2021 e abril deste ano. O processo aponta que o serviço de streaming teria evitado informar que o crescimento estava caindo em meio ao fortalecimento de rivais, como Disney+ e Amazon Prime.

Outra informação que teria sido escondida dos acionistas é o aumento nos preços das assinaturas nos Estados Unidos e Canadá, o que teria contribuído para a saída de 600 mil assinantes. Além disso, teria evitado falar que o uso de contas compartilhadas pelos clientes globais era um fator conhecido e citado no relatório publicado em abril, quando anunciou a perda de 200 mil membros.

De acordo com o documento, os valores das ações da Netflix caíram 67% a partir de novembro, o que deu prejuízos aos donos de papéis da companhia. Por conta disso, os acionistas requisitam indenizações para os investidores que negociaram ações da empresa entre 19 de outubro de 2021 e 19 de abril de 2022.

Entretanto, conforme apontado pela Exame, ganhar o caso pode não ser uma tarefa fácil. Afinal, os acionistas precisam convencer a Justiça de que a queda não foi normal para a empresa que, além de encarar concorrência, teve seus serviços suspensos na Rússia após a invasão da Ucrânia – o que reduziu 700 mil assinantes.

Queda histórica

No final de abril, ao divulgar os resultados do primeiro trimestre de 2022, a Netflix revelou uma perda histórica de assinantes. De acordo com os dados financeiros da empresa, 200 mil pessoas deixaram de ser membros do serviço entre janeiro e março deste ano em todo o mundo.

Apenas um dia depois do anúncio, a empresa viu suas ações derreterem na bolsa de Nova York. O serviço de streaming registrou uma queda de 35% nas negociações na quarta-feira (20) e viu evaporar nada menos que R$ 249 bilhões (US$ 54 bilhões) em seu valor de mercado.

O tombo das ações representou a maior perda diária da empresa em mais de uma década, segundo a agência Reuters. E a queda da Netflix respingou em outras empresas do ramo, com as ações de Walt Disney, Roku e Warner Bros Discovery, também ligadas ao streaming, caindo mais de 5,5% cada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos