Mercado fechará em 3 h 8 min

Nesta imagem, você vê o momento em que duas galáxias iniciam processo de fusão

Felipe Junqueira

Galáxias estão em constante movimento pelo universo, e colisões entre elas acontecem com certa frequência, até. Mesmo assim, registrar esses eventos em imagens é sempre motivo de comemoração. É o caso da dupla NGC 5394 e NGC 5395, também conhecidas, juntas, como galáxia Heron ou Arp 84, que já teriam colidido uma vez antes e estão em um processo de fusão, o que ainda deve levar milhões de anos.

O Observatório Gemini, estrutura com dois telescópios gêmeos posicionados nos hemisférios Norte e Sul da Terra, registrou essa colisão, que está em andamento a 160 milhões de anos-luz do nosso planeta. O telescópio localizado no Havaí foi o responsável pela nova imagem desse encontro galáctico.

Os astrônomos acham difícil que tal evento cause alguma colisão entre as estrelas das duas galáxias, já que ambas apresentam boa distância entre seus astros. Mas o encontro já liberou uma boa quantidade de gás hidrogênio, formador de estrelas. Na imagem, é possível ver esses “berçários” estelares nos anéis vermelhos que envolvem principalmente a galáxia maior.

Início da fusão entre as galáxias NGC 5394 e NGC 5395 (Foto: Gemini Observatory/AURA)

A colisão faz com que a força gravitacional de cada galáxia puxe a outra, modificando seus formatos. Essa forma atual levou os astrônomos a apelidarem o par de galáxia de Heron (“garça”, em inglês). Note como a galáxia maior lembra o o corpo da ave, enquanto a segunda representaria a cabeça, o pescoço e o bico.

A dupla foi observada pela primeira vez em 1787 por William Herschel, usando um telescópio de seis metros de comprimento. Localizadas próximas à constelação Canes Venatici, a NGC 5395 é a galáxia maior, com 140.000 anos-luz de comprimento, enquanto a menor, NGC 5394, tem cerca de 90.000 anos-luz de comprimento.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: