Mercado fechará em 4 h 39 min

Negros serão 44% dos vereadores nas câmaras municipais de diversas cidades em 2021

Alma Preta
·2 minuto de leitura
Fernanda Curti foi eleita vereadora em Guarulhos, na Grande São Paulo.
Fernanda Curti foi eleita vereadora em Guarulhos, na Grande São Paulo.

Texto: Roberta Camargo Edição: Nataly Simões

As Câmaras de Vereadores de grande parte das cidades brasileiras ficarão mais negras a partir de 2021, com 44% dos vereadores autodeclarados pretos e pardos. É o que revela o levantamento do Gênero e Número, com base em dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Somando as cadeiras de todas as 25 capitais que elegeram seus representantes dos próximos quatro anos no domingo (15), 44% serão ocupadas por pessoas negras. Na análise por gênero, mulheres são 18% de todas as vereadoras eleitas no país.

Palmas, capital do Tocantins, é a cidade com o maior número de pessoas negras eleitas. Entre as 18 cadeiras, somente uma será ocupada por uma pessoa branca. Já em Cuiabá, no Mato Grosso, 76% dos eleitos para a câmara municipal são negros.

No Recife, capital pernambucana, 28% dos vereadores eleitos são pretos e pardos. Saindo do Nordeste, por outro lado, no Sul, Florianópolis, capital de Santa Catarina, terá a câmara municipal mais branca do país, com nenhum vereador negro eleito para mandato a partir de 2021.

No Sudeste, a cidade do Rio de Janeiro teve uma mulher negra entre os mais votados, Tainá de Paula (PT), com 24.881 votos. Junto com ela, a câmara municipal terá outras três mulheres negras.

A vereança da maior capital do país, São Paulo, por sua vez, terá aspectos diferentes em 2021. Das 55 cadeiras na câmara municipal, 10 serão ocupadas por pessoas autodeclaradas pretas e pardas, o dobro em relação ao ano passado.

Desses 10, quatro são mulheres e seis homens. Uma das mais votadas se declara como preta e também é trans, Erika Hilton (PSOL). Na segunda cidade mais populosa do estado paulista, Guarulhos, região metropolitana, Fernanda Curti (PT) é uma das mulheres negras eleitas.

Outro avanço para a comunidade negra nas câmaras a partir do próximo ano é em relação aos quilombolas. De acordo com a Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq), mais de 50 quilombolas foram eleitos para a vereança em municípios localizados em estados como Goiás e Maranhão.