Mercado abrirá em 2 mins
  • BOVESPA

    112.282,28
    +2.032,55 (+1,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.338,34
    +510,21 (+1,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,15
    -0,08 (-0,11%)
     
  • OURO

    1.768,70
    -10,10 (-0,57%)
     
  • BTC-USD

    43.574,51
    +1.365,23 (+3,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.092,36
    +51,88 (+4,99%)
     
  • S&P500

    4.395,64
    +41,45 (+0,95%)
     
  • DOW JONES

    34.258,32
    +338,48 (+1,00%)
     
  • FTSE

    7.076,75
    -6,62 (-0,09%)
     
  • HANG SENG

    24.510,98
    +289,44 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.245,25
    +81,75 (+0,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1963
    -0,0125 (-0,20%)
     

Negros americanos estão sendo excluídos do boom imobiliário

  • Número de negros proprietários de casas segue em 44%

  • Região de San Diego teve explosão de compra de casas durante a pandemia

  • Famílias brancas e de alta renda dominam as casas da cidade

Antes da pandemia, a taxa de casas com negros como proprietários nos Estados Unidos estava crescendo de forma lenta, mas constante – era um aumento pequeno, mas significativo do ponto de vista econômico contra um pano de fundo de desigualdade racial. Então, a pandemia freou fortemente essa tendência ascendente, mesmo que a casa própria entre os americanos brancos continuasse a subir.

Leia também:

Uma análise recente do Centro Americano de Progresso mostrou que a taxa de propriedade dos negros da nação estava em pouco mais de 44% no final do ano passado, e segue praticamente inalterada em relação ao mesmo ponto em 2019. A taxa de propriedade dos americanos brancos aumentou para 74,5% (em comparação aos 73,7% de 2019).

"A casa própria entre os afro-americanos cresceu mais lentamente do que para as famílias brancas durante a pandemia, apesar das taxas de juros das hipotecas historicamente baixas", escreveram os autores do estudo. "Simplificando, as famílias negras enfrentaram mais obstáculos para se tornarem e permanecerem proprietários porque tinham menos dinheiro para recorrer".

Como muitas comunidades conhecidas por seu clima desejável e relativa acessibilidade em comparação com seus vizinhos metropolitanos maiores, San Diego foi inundada no ano passado por ricos compradores de casas da indústria de tecnologia, de acordo com funcionários da Fundação San Diego, uma organização sem fins lucrativos.

Embora os imóveis do condado de San Diego sejam muito mais caros do que a média nacional, é uma pechincha em comparação com casas típicas em São Francisco, onde os dados de sites especializados mostram que o preço típico de uma casa subiu para mais de US$ 1,5 milhão (8 milhões) em julho.

A tendência está prejudicando todos os aspirantes a compradores de casas pela primeira vez na área, disse a organização sem fins lucrativos, mas o grupo teme que isso esteja exacerbando a desigualdade de riqueza racial na cidade. De acordo com um estudo da Redfin, 61% das famílias brancas em San Diego possuíam casa própria em 2018, em comparação com apenas 30% das famílias negras.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos