Mercado abrirá em 6 h 4 min

NBA suspende temporada após jogador testar positivo para COVID-19

Rafael Arbulu

Um jogador de basquete, membro do time Utah Jazz, acabou apresentando resultado positivo para infecção pelo SARS-CoV-2, conhecido como “ novocoronavírus”, durante um teste preliminar para descobrir outras possíveis doenças. O resultado acabou culminando na suspensão de uma partida da equipe e, posteriormente, a todos os jogos da temporada 2019-2020 da Associação Nacional de Basquete dos Estados Unidos, a popular NBA.

Inicialmente, o teste seguia o procedimento padrão, buscando identificar moléstias como a gripe H1N1 e outras do tipo. Devido ao surto do coronavírus, porém, médicos esportivos a serviço da NBA recomendaram a extensão da avaliação para a doença COVID-2019, o que acabou voltando preliminarmente positivo. Segundo a NBA e o Utah Jazz, os resultados foram relatados momentos antes do tip-off de um jogo entre o time de Utah e o Oklahoma City Thunder — não iniciados vão reconhecer esse termo como o “pontapé inicial” de um jogo de basquete, quando o juiz lança a bola ao ar e um jogador de cada time disputa sua posse, sinalizando o início de uma partida. O jogador afetado não estava presente na arena e teve seu nome mantido sob discrição a fim de preservar a saúde dos procedimentos.

“A NBA está suspendendo a todos os jogos após a conclusão de todos os jogos desta noite [ontem] até segunda ordem. A NBA vai usar este hiato para determinar seus próximos passos à frente, em relação à pandemia do coronavírus”, disse a entidade de controle do basquete norte-americano, em um comunicado distribuído à mídia esportiva.

Partidas de basquete, por enquanto, só vão rolar no videogame: NBA suspendeu a temporada em preocupações com o coronavírus

O Utah Jazz também emitiu um parecer, dizendo estar trabalhando em proximidade ao CDC (a autoridade de saúde estadunidense, equivalente à Anvisa no Brasil) para determinar seu próprio futuro diante da situação, mas ressaltando que o teste generalizado foi feito primariamente pelo fato do jogador apresentar sintomas incomuns. O comunicado do time é reproduzido integralmente logo abaixo:

“Na manhã de hoje [ontem, 11], um jogador do Utah Jazz testou negativamente para a influenza, faringite estreptocócica e infecções respiratórias. Os sintomas do indivíduo foram diminuindo ao longo do dia, mas como uma medida de precaução e em consulta com a equipe médica da NBA e oficiais de saúde pública de Oklahoma, foi tomada a decisão de testá-lo para o COVID-2019.

Um teste preliminar voltou positivo momentos antes do tip-off do jogo entre o Utah Jazz e o Oklahoma City. Consequentemente, a decisão corretamente tomada pela NBA foi a de adiar o jogo. Quando ficou determinado que o indivíduo seria novamente testado, nós imediatamente informamos os oficiais da liga. A saúde e segurança dos nossos jogadores, nossa organização, aqueles envolvidos na liga e todos os potencialmente impactados por essa situação são prioridade em nossas discussões.

Nós estamos trabalhando em proximidade com o CDC e oficiais estatais de Oklahoma e Utah a fim de determinar como melhor seguir em frente à medida que juntamos novas informações. O indivíduo está, atualmente, sob cuidados de oficiais de saúde na cidade de Oklahoma. Sob coordenação da NBA e oficiais estatais, nós vamos oferecer atualizações do caso em momentos mais oportunos”.

Esporte sob ataque

A indústria do esporte, em geral, vem mostrando sinais fortes de que a pandemia da COVID-19 começa a afetar seu progresso rotineiro, mostrando que a situação vai além do basquete.

Em partida pela futebolística Copa dos Campeões da UEFA, o francês Paris St. German venceu o alemão Borussia Dortmund por 2 a 1, em um jogo marcado pela total ausência de torcida, cuja entrada no estado da equipe francesa foi barrada por preocupações com o coronavírus. Muitos fãs, porém, reuniram-se ao lado externo do estádio, acompanhando a partida por um telão.

Evento de MMA do UFC, marcado para este sábado (14) em Brasília, ocorrerá com as portas fechadas, conforme determinação de governo local de proibir grandes reuniões de público, o que inclui eventos esportivos (Imagem: Divulgação/UFC)

Em outras searas, o esporte das artes marciais mistas (MMA) vem enfrentando dois reveses: o governador de Ohio, Mike DeWine, do Partido Republicano, anunciou na última segunda-feira (10) que toda e qualquer ocasião de reunião pública estaria temporariamente proibida no estado, em virtude da pandemia, de acordo com o site especializado MMAJunkie. A maior produtora do esporte, Ultimate Fighting Championship (UFC) tem um evento marcado na cidade de Columbus, Ohio, para o dia 28 de março. Mais urgente, porém, é o anúncio feito hoje cedo (12) de que o evento da empresa marcado para 14 de março em Brasília, ocorreria sob portas fechadas: o governador Ibaneis Rocha (MDB) declarou proibidas todas as reuniões públicas, de eventos esportivos a agregações religiosas.

Outras ligas, como a NHL (hóquei), NFL (futebol americano) e MBL (beisebol) ainda não anunciaram cortes do tipo, mas estão estudando como deverão se comportar frente à pandemia, caso esta venha a confrontar seus respectivos calendários.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: