Mercado abrirá em 4 h 29 min
  • BOVESPA

    100.763,60
    +2.091,34 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,86
    +1,29 (+1,18%)
     
  • OURO

    1.829,30
    +4,50 (+0,25%)
     
  • BTC-USD

    20.880,01
    -497,65 (-2,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    455,36
    -6,43 (-1,39%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.335,36
    +77,04 (+1,06%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,45 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.092,75
    +52,25 (+0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5345
    -0,0096 (-0,17%)
     

Conheça o navio de cruzeiro que usa internet da Starlink, de Elon Musk

Royal Caribbean é o primeiro a apostar na conexão de Elon Musk (Getty Images)
Royal Caribbean é o primeiro a apostar na conexão de Elon Musk

(Getty Images)

  • Navio de cruzeiro usa, pela primeira vez, internet da Starlink;

  • Projeto está em "fase experimental", já que as autoridades federais ainda não o aprovaram;

  • Objetivo da Starlink é levar banda larga de alta velocidade a regiões remotas e sem cobertura.

Pela primeira vez, um navio de cruzeiro está apostando na internet da Starlink, empresa fundada pelo bilionário Elon Musk, para garantir conexões rápidas e com alta cobertura aos passageiros a bordo. Trata-se do Royal Caribbean Group, proprietário da Royal Caribbean International, Celebrity Cruises e Silversea Cruises.

Funcionando à base de satélites em baixa órbita, a Starlink tem o objetivo de levar banda larga de alta velocidade a áreas rurais e remotas do mundo, onde não há boa conexão com a internet. Neste ano, a empresa foi responsável por manter a Ucrânia conectada, depois que os ataques da Rússia danificaram a infraestrutura local, e agora mira em atuar na Amazônia e outras regiões brasileiras.

No caso do cruzeiro, ainda existem alguns entraves. O serviço da Starlink em veículos em movimento – como aviões, navios e outros – ainda não tem a aprovação dos órgãos federais. Por isso, o projeto com a Royal Caribbean ainda está em sua “fase experimental”, segundo confirmado por um porta-voz da empresa ao USA Today.

O grupo ainda pediu, à Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês), que permita os projetos da parceira em navios, aviões, caminhões e outros transportes. Para o Royal Caribbean, esta seria uma “verdadeira solução de próxima geração” para suas frotas.

Conforme observado pela PC Mag, a Starlink tem capacidade de elevar as velocidades de Wi-Fi em navios dos atuais 3 a 5 Mbps para 50 a 250 Mbps.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos