Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    48.212,89
    +1.122,80 (+2,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7797
    -0,0062 (-0,09%)
     

Nave de carga é rebatizada para homenagear Katherine Johnson, matemática da NASA

Danielle Cassita
·2 minuto de leitura

Em 20 de fevereiro, a Northrop Grumman lançará a nave cargueira Cygnus com destino à Estação Espacial Internacional (ISS). O lançamento será feito com o foguete Antares, e terá o objetivo de levar suprimentos e experimentos ao laboratório orbital. Então, para celebrar o trabalho de Katherine Johnson, famosa matemática da NASA, além do Mês da História Negra, a empresa decidiu renomear a nave como S.S. Katherine Johnson.

Em um comunicado, a Northrop Grumman explica que faz parte da tradição nomear as naves Cygnus com nomes de pessoas que tiveram papel essencial nos voos espaciais tripulados: “em celebração do Mês da História Negra, a Northrop Grumman anuncia o nome da nave NG-15 Cygnus como uma honra a Katherine Johnson, matemática da NASA que superou barreiras de raça e gênero”, diz a publicação.

A nave NG-15 Cygnus, que agora leva o nome de Katherine Johnson, durante monstagem nas instalações da empresa (Imagem: Reprodução/Northrop Grumman)
A nave NG-15 Cygnus, que agora leva o nome de Katherine Johnson, durante monstagem nas instalações da empresa (Imagem: Reprodução/Northrop Grumman)

Assim, a S.S. Katherine Johnson será lançada por um foguete Antares e levará mais de 3 toneladas de experimentos científicos, suprimentos e hardware para a tripulação da Expedição 64. Após passar dois meses acoplada à estação, a nave vai decolar e deixar alguns pequenos satélites na órbita antes de seguir para a reentrada na atmosfera da Terra.

Johnson faleceu aos 101 anos em fevereiro de 2020, e foi uma das mulheres que trabalhou como um “computador humano” para a National Advisory Committee for Aeronautics, a agência que antecedeu a NASA, na tarefa de realizar os cálculos necessários para os engenheiros avançarem no trabalho aeronáutico. Após a fundação da NASA, ela passou a atuar no Space Task Group para calcular as trajetórias orbitais e suborbitais para os primeiros voos espaciais tripulados dos Estados Unidos — tanto que a data do lançamento da Cygnus coincide com a marca dos 59 anos do lançamento da missão Mercury, quando o astronauta John Glenn se tornou o primeiro norte-americano a orbitar a Terra — algo que só foi possível com o notável trabalho de Johnson.

Katherine Johnson (Imagem: Reprodução/NASA)
Katherine Johnson (Imagem: Reprodução/NASA)

Ela foi, ainda, a primeira mulher da área creditada por um relatório de pesquisa e, após se aposentar, foi homenageada com as medalhas Presidential Medal of Freedom e Congressional Gold Medal, além de ter seu nome também nas instalações de pesquisa computacionais da NASA. “O trabalho dela na NASA literalmente levou os americanos para o espaço, e seu legado inspira jovens mulheres negras todos os dias”, finaliza o comunicado.

Essa é a segunda nave Cygnus que recebe o nome de algum pioneiro espacial negro: a primeira foi a S.S. Robert Lawrence, que leva o nome do primeiro americano negro a ser selecionado como astronauta. O lançamento da S.S. Robert Lawrence ocorreu em fevereiro de 2020.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: