Mercado fechará em 46 mins
  • BOVESPA

    112.074,52
    +2.356,59 (+2,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.639,36
    +178,81 (+0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,79
    -2,55 (-2,70%)
     
  • OURO

    1.816,00
    +8,80 (+0,49%)
     
  • BTC-USD

    24.185,88
    +56,91 (+0,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    575,51
    +4,23 (+0,74%)
     
  • S&P500

    4.271,95
    +64,68 (+1,54%)
     
  • DOW JONES

    33.712,46
    +375,79 (+1,13%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.541,00
    +229,75 (+1,73%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2008
    -0,1229 (-2,31%)
     

Natura vai estimular assinaturas para projeto de lei de proteção à Amazônia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Pela primeira vez na história da Natura, a companhia decidiu ajudar a coletar assinaturas para um projeto de lei de iniciativa popular em defesa da Amazônia.

A empresa vai estimular consumidores, funcionários e a rede de revendedoras a entrarem no esforço pelo projeto de lei chamado de Amazônia de Pé.

Serão todos incentivados pela Natura a buscar assinaturas, inclusive nas lojas da marca e em seus eventos.

O texto prevê a destinação de 57 milhões de hectares de florestas públicas na região para a sobrevivência do bioma e a segurança de povos originários, ribeirinhos, quilombolas, pequenos produtores extrativistas e da reforma agrária.

O movimento, que é liderado pela ONG Nossas com cientistas, especialistas e lideranças locais, pretende encaminhá-lo ao Congresso em 2023, após reunir 1,5 milhão de assinaturas físicas em cinco estados.

A medida, segundo a Natura, está em linha com seus mais de 20 anos de trabalhos na Amazônia. A empresa diz que seu modelo de negócio em parceria com as comunidades contribui para conservar 2 milhões de hectares de floresta e quer expandir para 3 milhões de hectares até 2030.

"É o começo de um processo que vamos mobilizar ao longo do ano. Vamos convocar as pessoas a assinarem fisicamente. Nós já apoiamos outros projetos de lei vinculados a sustentabilidade, e essa é a primeira vez que a empresa endossa um projeto de lei de iniciativa popular", diz Denise Hills, diretora de sustentabilidade de América Latina da Natura &Co, que reúne as marcas Natura, Avon, The Body Shop e Aesop.

Segundo a executiva, já existe o site do Amazônia de Pé, onde as pessoas podem imprimir o formulário para fazer a assinatura física e enviar à organização pelo Correio. "Essa convocação é para todos. A gente já fez uma mobilização através das consultoras [revendedoras de produtos Natura] para que elas possam também fazer isso. A gente vê as consultoras como agentes de mobilização como qualquer pessoa. Nos somamos com as nossas consultoras e nossos colaboradores", afirma Hills.

A empresa ainda está definindo como será feita a abordagem nas lojas. "Para assinar, é preciso ser físico. Tem que ter título de eleitor. Tem uma descrição do processo. Então, garantir que isso ocorra, a gente vai fazer essa mobilização em algumas iniciativas daqui até o fim do ano e garantir que a nossa rede de consultoras e lojas também possa se juntar a este movimento", diz.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos