Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.591,41
    -172,59 (-0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.435,45
    +140,65 (+0,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,98
    +0,22 (+0,20%)
     
  • OURO

    1.819,90
    -1,30 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    20.253,38
    -499,22 (-2,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    438,78
    -11,28 (-2,51%)
     
  • S&P500

    3.821,55
    -78,56 (-2,01%)
     
  • DOW JONES

    30.946,99
    -491,31 (-1,56%)
     
  • FTSE

    7.323,41
    +65,09 (+0,90%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,47 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    26.729,16
    -320,31 (-1,18%)
     
  • NASDAQ

    11.663,25
    -11,00 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5436
    -0,0005 (-0,01%)
     

Natura quer dar mais liberdade para unidades de negócios, diz novo presidente

Natura

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - Fábio Barbosa, ex-presidente do Santander Brasil e do Grupo Abril, assume o comando da Natura&Co com a missão de dar mais liberdade às áreas de negócios, em uma reorganização que visa elevar a agilidade das unidades da companhia de cosméticos, disse ele a jornalistas nesta quarta-feira.

Barbosa foi anunciado mais cedo como novo presidente-executivo da Natura, substituindo Roberto Marques, que vai se aposentar no final do ano. A empresa vem de um prejuízo acima do esperado no primeiro trimestre e um adiamento de projeções, afetada em parte por impacto da inflação global e da guerra na Ucrânia nos negócios. [nS0N2WI021]

A reorganização está alinhada à estratégia da Natura de "aumentar a responsabilidade de suas empresas e marcas - Natura, Avon, The Body Shop e Aesop - ao fazer a transição para uma estrutura mais simples de holding", disse a companhia. Durante a entrevista a jornalistas, Barbosa citou que eventualmente o grupo não precise ter todas as marcas operando nos mesmos mercados.

As ações da empresa disparavam 10,3% na manhã desta quarta-feira, a 15,44 reais, liderando a alta do Ibovespa, que avançava 1,8%. Ainda assim, os papéis da empresa acumulam queda de cerca de 39% no ano.

Barbosa disse que a Natura passou por um período de captura de sinergias após aquisições na última década, com destaque para compra da Avon. Agora, segundo ele, a "meta principal é dar liberdade para áreas de negócios, mais autonomia com mais responsabilidade".

Essa maior liberdade, explicou ele, será refletida do planejamento estratégico e montagem de orçamento de cada unidade até a definição de promoções e linha de produtos.

"Estamos perdendo agilidade. As empresas (do grupo) estão se ressentindo do fato de não poderem tomar decisões a nível local", disse ele, acrescentando que como presidente da holding Natura&Co, tomará decisões mais globais. Os presidentes de cada uma das unidades foram mantidos e não há estudos para troca, disse Barbosa.

Junto com as funções de presidente, Barbosa vai liderar uma equipe de transição, processo que, ele espera, seja concluído até o final deste ano.

Em termos de estrutura corporativa, as mudanças se estendem à presidência do conselho, já que o presidente-executivo não mais acumulará as duas funções. O comando do colegiado ficará com os fundadores, segundo Barbosa. Marques permanecerá com um assento comum para auxiliar no processo de transição.

A Natura afirmou ainda que funções do grupo como líder de Crescimento Sustentável e líder de Transformação deixarão de existir ou serão reavaliadas na nova estrutura. Barbosa, atualmente conselheiro na companhia e presidente do comitê de Pessoas, confirmou que o cargo de líder de Crescimento Sustentável foi extinto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos