Mercado fechará em 7 mins
  • BOVESPA

    100.944,19
    +404,36 (+0,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.787,50
    +585,69 (+1,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    40,09
    -1,61 (-3,86%)
     
  • OURO

    1.928,00
    +12,60 (+0,66%)
     
  • BTC-USD

    12.761,64
    +1.704,63 (+15,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    255,85
    +10,96 (+4,48%)
     
  • S&P500

    3.456,16
    +13,04 (+0,38%)
     
  • DOW JONES

    28.344,30
    +35,51 (+0,13%)
     
  • FTSE

    5.776,50
    -112,72 (-1,91%)
     
  • HANG SENG

    24.754,42
    +184,88 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    23.639,46
    +72,42 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    11.732,00
    +71,25 (+0,61%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6556
    +0,0292 (+0,44%)
     

Natura limpa balanço com emissão de US$1 bi

·1 minuto de leitura
.
.

NOVA YORK (IFR) - A Natura&Co ganhou poder financeiro para iniciar a tarefa nada invejável de recuperar a marca Avon ao levantar 5,6 bilhões de reais (1 bilhão de dólares) por meio de uma venda de ações realizada na quinta-feira.

A Natura, que comprou a Avon Products por 2 bilhões de dólares para se tornar a quarta maior fabricante de cosméticos do mundo, usará 850 milhões de dólares da operação para otimizar sua estrutura de capital, tendo como alvo específico dívida que vence em 2022 para eliminar covenants restritivos.

A oferta foi precificada a 46,25 reais/16,52 dólares. Nesta sexta-feira, as ações da Natura eram negociadas a 47,27 reais/17,04 dólares, com volume acima do normal, particularmente os ADSs listados na Nyse.

Enquanto isso, no fronte doméstico, os IPOs estão enfrentando dificuldades para atrair atenção dos investidores.

A mais recente empresa a ser forçada a aceitar desconto foi o grupo de logística Sequoia, levantando menos que o esperado em um IPO na segunda-feira. Os papéis foram precificados a 12,40, abaixo da faixa indicativa de 14,25 a 17,75 reais. O papel saía nesta sexta-feira a 12,30 reais.

Já o grupo varejista de alimentos Mateus levantou 4,6 bilhões de reais no IPO na quinta-feira, mas a oferta foi precificada no piso da faixa indicativa de 8,97 reais.

(Reportagem de Stephen Lacey)