Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.334,67
    +1.490,93 (+1,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.811,39
    +253,74 (+0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,51
    +0,22 (+0,31%)
     
  • OURO

    1.775,80
    +12,00 (+0,68%)
     
  • BTC-USD

    42.189,36
    -1.689,78 (-3,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.047,91
    -15,94 (-1,50%)
     
  • S&P500

    4.354,19
    -3,54 (-0,08%)
     
  • DOW JONES

    33.919,84
    -50,63 (-0,15%)
     
  • FTSE

    6.980,98
    +77,07 (+1,12%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.839,71
    -660,34 (-2,17%)
     
  • NASDAQ

    15.021,00
    +11,50 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1981
    -0,0466 (-0,75%)
     

Nathalie Moellhausen é derrotada na estreia da esgrima e perde chance de medalha inédita

·1 minuto de leitura
Nathalie Moellhausen compete com a italiana Rossella Fiamingo (MOHD RASFAN/AFP via Getty Images)
Nathalie Moellhausen compete com a italiana Rossella Fiamingo (MOHD RASFAN/AFP via Getty Images)

TÓQUIO, JAPÃO (FOLHAPRESS) - Primeira chance de medalha do Brasil a entrar em ação nas Olimpíadas de Tóquio, a esgrimista Nathalie Moellhausen viu o sonho acabar cedo na manhã deste sábado (24) no Japão. 

Ela foi derrotada no primeiro jogo que fez na chave da espada feminina, pela italiana Rossella Fiamingo, por 10 a 9, no golden score. 

Leia também:

Atual campeã mundial e quarta colocada do ranking, Nathalie, 35, era bem cotada ao pódio, mas sua categoria é tida como uma das imprevisíveis da modalidade. 

Coincidentemente, Nathalie nasceu em Milão e competiu pela Itália durante boa parte da carreira, sendo inclusive campeã mundial por equipes pelo país europeu, em 2009. 

Filha de mãe ítalo-brasileira e pai ítalo-germânico, ela aceitou convite para defender o Brasil em 2014, e em 2016 obteve o melhor resultado olímpico da esgrima verde-amarela, avançando até as quartas de final no Rio de Janeiro. 

Vice-campeã olímpica em 2016, Rossella Fiamingo, 30, é bicampeã mundial (2014 e 2015), mas competiu pouco em 2019 (último ano de calendário normal da modalidade) e ocupa apenas a 63ª posição do ranking da federação internacional. 

Em Tóquio, o Brasil ainda competirá na esgrima com Guilherme Toldo, no florete, na segunda-feira (26). O país nunca conquistou medalha no esporte.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos