Mercado fechado

Bolsas de NY passam a subir após Fed; dólar acentua queda no exterior

André Mizutani

BC dos EUA manteve juros perto de zero e informou que nenhum integrante defende elevação de taxas antes de 2022 Os índices acionários de Nova York reagiram positivamente ao comunicado da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) e passaram a operar em direção única de alta. Como esperado, o banco central americano manteve sua taxa de juros entre 0% a 0,25% ao ano em votação unânime e informou que nenhum membro do board defende o aumento da taxa antes de 2022.

As autoridades também disseram que manteriam o ritmo recente de compras de títulos do Tesouro e de títulos atrelados a hipotecas, concluindo efetivamente reduções semanais graduais.

Diante dos sinais de que o Fed continuará dando suporte à economia para dar gás à recuperação econômica atingida pelo coronavírus, o Dow Jones passou a subir 0,11% e o S&P 500 avança 0,42% - ambos operavam no negativo antes do anúncio. O Nasdaq, que já subia, acelerou a alta e avança 1,26%, a 10.078,67 pontos.

Já o dólar acentuou a queda no exterior. O índice DXY, que mede o desempenho da moeda americana ante uma cesta de divisas fortes, cai 0,61%, a 95,732.

Os rendimentos dos Treasuries de dez anos reduziram a queda para 0,802%, de 0,787% de antes do Fed.

O petróleo também reagiu à promessa do Fed de continuar dando suporte à economia e acelerou na reta final da sessão, depois de ter operado em queda quase todo o dia. Depois do comunicado, os preços dos contratos para agosto do Brent passaram a subir 1,72%, a US$ 41,89 o barril, e os do WTI para julho avançavam 2,16%, a US$ 39,77 o barril, após Fed.

Já na pós-sessão, o ouro também acelerou diante da promessa de novos estímulos monetários e da queda mais acentuada do dólar e sobe 0,88%, a US$ 1.737,00 a onça-troy.

Seth Wenig / Associated Press