Mercado fechará em 1 h 46 min
  • BOVESPA

    106.042,48
    -76,52 (-0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.905,06
    +36,24 (+0,09%)
     
  • PETROLEO CRU

    42,17
    +0,43 (+1,03%)
     
  • OURO

    1.869,60
    +8,10 (+0,44%)
     
  • BTC-USD

    18.355,54
    -99,21 (-0,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    362,95
    +1,52 (+0,42%)
     
  • S&P500

    3.559,57
    +2,03 (+0,06%)
     
  • DOW JONES

    29.416,00
    +152,52 (+0,52%)
     
  • FTSE

    6.351,45
    +17,10 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    26.451,54
    +94,54 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    25.527,37
    -106,93 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.908,00
    -79,25 (-0,66%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3799
    +0,0727 (+1,15%)
     

NASA soltará balão do tamanho de campo de futebol na estratosfera

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
Imagem do projeto do balão estratosférico da NASA
Imagem do projeto do balão estratosférico da NASA

A agência espacial dos Estados Unidos, a NASA, vai colocar no ar um novo balão experimental que terá o tamanho aproximado de um campo inteiro de futebol. O objetivo: estudar estrelas recém-nascidas. As informações são da própria agência, reproduzidas pelo site TechCrunch.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Junto ao balão, subirá para os ares, mais especificamente para a estratosfera, um telescópio hiper-sensível, projetado para detectar ondas de luz que são bloqueadas pela atmosfera terrestre, impossibilitando sua observação a partir do solo. Por isso a necessidade de colocar suas lentes além dessa camada de bloqueio.

Leia também

A missão, de codinome ASTHROS, será realizada em 2023, a partir de um ponto da Antarctica. Segundo a NASA, os alvos prioritários do novo telescópio serão duas regiões específicas da Via Láctea, onde foi detectada atividade de nascimento de estrelas.

O balão deve fazer duas viagens sobre o Polo Sul, durante um período de cerca de quatro semanas, movido por “ventos estratosféricos” de alta altitude. Depois, o telescópio será desconectado do balão, e voltará ao solo em um para-quedas, para possível resgate.

Se tudo der certo com a missão, a NASA pretende obter o primeiro “mapa 3D detalhado de densidade, velocidade e movimento de gás” nessas regiões de “berçários” de estrelas da nossa galáxia.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube