Mercado abrirá em 5 h 54 min
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,69 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,11 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,88
    +1,62 (+2,44%)
     
  • OURO

    1.784,00
    +0,10 (+0,01%)
     
  • BTC-USD

    48.735,34
    -690,31 (-1,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.252,15
    -189,61 (-13,15%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,72 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.473,56
    -293,13 (-1,23%)
     
  • NIKKEI

    27.957,61
    -71,96 (-0,26%)
     
  • NASDAQ

    15.768,25
    +50,50 (+0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3772
    -0,0181 (-0,28%)
     

NASA recupera mais um instrumento do Hubble que estava em modo de segurança

·1 min de leitura

Em outubro, o telescópio espacial Hubble sofreu uma falha com a sincronização de sistemas de comunicação internos, que fez com que todos os cinco instrumentos científicos principais entrassem no modo de segurança. Desde então, os membros da equipe do Hubble já haviam conseguido restaurar um deles e, agora, a câmera Wide Field Camera 3 também foi recuperada, já podendo realizar sua primeira observação nesta terça (23).

O instrumento Advanced Camera for Surveys (ACS) foi restaurado durante o início de novembro e, com a retomada do funcionamento da Wide Field Camera 3 (WFC3), vemos um avanço importante na "ressuscitação" do Hubble, já que este instrumento representa parte significativa do tempo de observação do telescópio. Além disso, os engenheiros também estão preparando algumas mudanças nos parâmetros do instrumento, enquanto seguem testando alterações em simuladores em solo.

Os demais instrumentos do telescópio seguem no modo de segurança no momento (Imagem: Reprodução/NASA)
Os demais instrumentos do telescópio seguem no modo de segurança no momento (Imagem: Reprodução/NASA)

Se tudo der certo, as alterações podem permitir que os instrumentos suportem algumas mensagens de sincronização perdida enquanto seguem operando normalmente caso algum problema semelhante volte a ocorrer no futuro. De acordo com a NASA, as mudanças seriam aplicadas inicialmente no instrumento Cosmic Origins Spectrograph para proteger seu detector, e o processo de testar e implementar as mudanças deverá levar algumas semanas.

A WFC3 é o instrumento mais usado do Hubble e foi instalado pelos astronautas que estiveram na última das cinco missões de manutenção do telescópio espacial. Além de consertos, essas missões também realizaram manutenções e atualizações no telescópio, lançado em 1990 — toda essa atenção ao Hubble mostra como foi possível mantê-lo em operação por mais de 30 anos. Mesmo assim, o telescópio vem mostrando algumas falhas, que sinalizam desgastes após tanto tempo de atividades.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos