Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.406,04
    -594,55 (-1,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

NASA realiza 1ª tentativa de consertar painéis solares da sonda Lucy

No dia 9 de maio, a equipe da missão Lucy, da NASA, realizou a primeira de duas tentativas programadas para concluir a abertura do painel solar da sonda, que estudará os asteroides que compartilham a mesma órbita de Júpiter. A operação serviu para avaliar se os comandos executados em teste na Terra ajudarão o painel solar a destravar.

Após seu lançamento em outubro do ano passado, a sonda Lucy estendeu seus dois grandes painéis solares circulares, desenvolvidos para se abrirem como leques e permanecerem travados na posição correta. O painel -Y abriu perfeitamente, mas o +Y, não: ele se estendeu a apenas 347º quando deveria abrir em 360º.

Embora um de seus painéis não esteja 100% aberto, a missão Lucy não será comprometida (Imagem: Reprodução/Lockheed Martin)
Embora um de seus painéis não esteja 100% aberto, a missão Lucy não será comprometida (Imagem: Reprodução/Lockheed Martin)

A nova tentativa de completar a abertura do painel solar foi o momento de testar se as operações realizadas em solo são adequadas ao sistema de voo da sonda. Por enquanto, a equipe da NASA à frente da missão se concentra em analisar os dados da recente operação para confirmar se o comportamento da sonda reflete os comandos dos testes em solo. Ao fim desta etapa, será determinada a próxima fase de implantação.

A segunda tentativa só ganhará uma data quando os dados da primeira foram todos revisados. Vale lembrar que, apesar deste pequeno problema, a sonda Lucy tem produzido mais de 90% da sua capacidade de energia esperada. Portanto, o defeito não afetará o restante da missão.

A missão Lucy é a primeira a ser lançada para explorar os astroides troianos de Júpiter — “sobras” do Sistema Solar primitivo que podem revelar informações valiosas sobre o início do nosso sistema planetário. A sonda deve chegar ao primeiro asteroide em 2025, mas até 2033 ela estudará vários outros.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos