Mercado fechado
  • BOVESPA

    126.003,86
    +951,08 (+0,76%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.962,44
    +693,99 (+1,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,16
    +0,09 (+0,12%)
     
  • OURO

    1.798,10
    -3,70 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    38.169,05
    +3.764,12 (+10,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    909,13
    -6,35 (-0,69%)
     
  • S&P500

    4.422,30
    +10,51 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    35.144,31
    +82,76 (+0,24%)
     
  • FTSE

    7.025,43
    -2,15 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    26.192,32
    -1.129,66 (-4,13%)
     
  • NIKKEI

    27.833,29
    +285,29 (+1,04%)
     
  • NASDAQ

    15.116,75
    +18,75 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1121
    -0,0095 (-0,16%)
     

NASA pode usar hardware reserva do telescópio Hubble enquanto investiga falha

·3 minuto de leitura

Em junho, o computador de cargas úteis que integra o telescópio espacial Hubble apresentou uma falha, que fez com que o componente parasse de funcionar inesperadamente. Desde então, a NASA segue em busca da origem do problema. Em uma atualização publicada nesta semana, os oficiais da agência espacial afirmam que, agora, os engenheiros estão focando as buscas na unidade Command Unit/Science Data Formatter, um componente que formata e transmite comandos e dados, e em uma unidade de energia.

Inicialmente, a equipe que está cuidando do problema considerou que a falha poderia ter sido causada por um módulo de memória defeituoso, mas o erro persistiu mesmo após alternarem o sistema para o módulo de memória reserva — ou seja, a origem do problema não estava ali. Agora, as análises estão focadas na unidade Command Unit/Science Data Formatter e em um regulador de energia. Se algum deles for definido como a provável causa do ocorrido, a equipe precisará realizar alternar o funcionamento do telescópio para os componentes de reserva.

Foto do Hubble feita durante a última missão de manutenção, realizada em 2009 (Imagem: Reprodução/NASA)
Foto do Hubble feita durante a última missão de manutenção, realizada em 2009 (Imagem: Reprodução/NASA)

Assim, ao longo das próximas semanas, a equipe irá analisar e atualizar todos os procedimentos de operação e comandos necessários para a troca para o hardware de reserva. Em seguida, vão testar a execução do procedimento em um simulador de alta fidelidade, para somente depois fazer a troca no telescópio. Esta não é a primeira vez que o Hubble passa por um procedimento assim: uma troca de sistemas parecida foi feita em 2008, que permitiu que o instrumento continuasse em ação mesmo após a falha desta unidade.

Enquanto buscam a solução para o problema, as operações científicas do telescópio continuam suspensas. Isso significa que, embora o telescópio esteja funcionando normalmente, ele está realizando somente as observações já programadas para manter a energia ativa e o controle térmico, e como o computador de carga útil está desativado, não é possível coletar dados. Durante esse período, o telescópio e os instrumentos são mantidos em uma configuração de segurança.

Segundo Paul Hertz, diretor da divisão de astrofísica da NASA, ainda deve levar algumas semanas até a falha ser corrigida. “Embora todos estejamos impacientes para o Hubble retomar o trabalho científico, a maior prioridade é o cuidado e não apressar o trabalho”, disse. Vale lembrar que as operações do Hubble já foram suspensas em outras ocasiões. Em março deste ano, por exemplo, houve uma falha de software que resultou em problemas em outros componentes. Felizmente, o ocorrido foi corrigido e as observações foram retomadas após alguns dias.

Estes “sustos” sinalizam a fadiga, causada pelo tempo de operação já avançado do telescópio. O Hubble foi lançado em uma missão realizada em 1990, com o ônibus espacial Discovery, e passou por cinco manutenções, sendo que a última foi feita em 2009 — que foi também o ano em que o módulo foi substituído pela unidade que segue funcionando até hoje. Ao longo dos 31 anos de atividades, o telescópio contribuiu para algumas das descobertas mais importantes já feitas, como a expansão do universo e a evolução das galáxias.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos