Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.959,46
    -94,46 (-0,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

NASA mantém data de lançamento da Artemis I, mas identifica pequenas falhas

A NASA quer lançar a missão Artemis I nesta quarta-feira (16), mesmo com pequenos procedimentos necessários após a passagem do furacão Nicole. Se tudo acontecer conforme o planejado pela agência espacial, o foguete Space Launch System (SLS) lançará a cápsula Orion rumo à Lua em uma janela de duas horas, que se abrirá às 03h04, no horário de Brasília.

Mike Sarafin, gerente de missão do programa Artemis, afirmou durante uma conferência no domingo (13) que a NASA parece estar no caminho certo para a tentativa de lançamento no dia 16. “A equipe está avançando como uma unidade, só temos um pouco de trabalho a fazer”, disse.

Parte deste trabalho será dedicada a uma faixa fina chamada “RTV”, que envolve a cápsula Orion. Ela é responsável por amortecer recuos na cápsula, que podem causar circulações indesejadas e aquecimento durante o voo. Entretanto, enquanto atingiu o litoral da Flórida, o furacão Nicole danificou parte do componente.

Foguete SLS e cápsula Orion posicionados na plataforma de lançamentos (Imagem: Reprodução/NASA/Joel Kowsky)
Foguete SLS e cápsula Orion posicionados na plataforma de lançamentos (Imagem: Reprodução/NASA/Joel Kowsky)

É possível que parte da RTV acabe solta durante o lançamento da missão, formando detritos que podem colocar o SLS em risco. Segundo Sarafin, a equipe ainda está examinando o tipo e a proporção dos riscos, mas a equipe da missão não considera que o aumento de calor, causado pela perda da RTV, seja motivo de grande preocupação.

Como a cápsula Orion está instalada no topo do foguete SLS, que chega a mais de 60 m de altura, o problema com a RTV não poderá ser solucionado na plataforma de lançamentos; se for preciso substituir o revestimento, pode ser que o sistema seja levado de volta ao prédio Vehicle Assembly Building, no Kennedy Space Center.

Além das análises da RTV, a equipe da missão planeja substituir um conector elérico próximo da base do foguete, em um procedimento que pode ser realizado na plataforma. “Temos alguns critérios de compromisso de lançamento muito bem escritos, que são muito bem planejados”, acrescentou Sarafin. Segundo ele, os critérios permitem o voo independentemente da situação do conector.

Mesmo assim, os membros da missão esperam garantir capacidades completamente funcionais do sistema. Eles devem se reunir novamente nesta segunda-feira (14) para discutir estes e outros ocorridos.

Se a missão Artemis I for lançada no dia planejado, ela deverá durar aproximadamente 26 dias. Caso seja necessário adiar novamente o lançamento, a NASA tem datas reserva para novas tentativas nos dias 19 e 25 de novembro.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: