Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    48.314,02
    +829,70 (+1,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

NASA incendeia nave para entender como o fogo age na microgravidade; confira!

Danielle Cassita
·2 minuto de leitura

Em janeiro, a NASA fez mais um experimento da série Spacecraft Fire Safety (Saffire), com o objetivo de investigar o comportamento de materiais inflamáveis no espaço. Desta vez, para o experimento Saffire-V, uma nave Cygnus, da Northrop Grumman, foi incendiada após deixar a Estação Espacial Internacional (ISS) com resíduos em seu interior.

Durante o procedimento, as equipes de operação em solo reduziram a pressão da nave e a preencheram com oxigênio para imitar as condições atmosféricas de futuros veículos tripulados. Após o início da ignição, os sensores e câmeras integrados à estrutura da nave monitoraram as variações de temperatura, crescimento das chamas e mudanças no oxigênio.

Confira como foi o experimento:

Esse foi o experimento mais recente focado no comportamento do fogo no espaço para as equipes verificarem como aumentar a proteção dos astronautas em missões de longo prazo, e os dados serão utilizados para melhorar a detecção das chamas: “vamos poder modelar cenários de incêndios e aumentar nossa confiança em estratégias de segurança”, explicou Gary A. Ruff, gerente de projeto do Saffire. O experimento durou mais de 26 horas e, depois, a Cygnus queimou na atmosfera da Terra conforme o planejado.

Segundo Gary, os níveis de oxigênio elevado mostraram que as chamas foram mais energéticas, o que causaria mais impactos no veículo. O comportamento do fogo na microgravidade é bem diferente do que vemos na Terra, porque, sem a gravidade, os gases quentes não sobem. Além disso, a combustão se inicia a temperaturas menores e com menos oxigênio; por isso, os pesquisadores do experimento explicam que os materiais usados para apagar incêndios nestas condições teriam que ser mais concentrados do que aqueles que temos em nosso planeta.

Futuramente, a NASA planeja realizar outro experimento Saffire, mas ainda não especificou quando este será lançado ou qual será o foco do estudo. Este experimento e outros que já foram realizados fazem parte do objetivo de entender os riscos e comportamentos do fogo no espaço visando a segurança dos astronautas do programa Artemis, que irão explorar a Lua e, eventualmente, Marte.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: