Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.975,15
    -172,76 (-0,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

NASA fecha contrato para estender missão científica do Hubble até 2026

·2 min de leitura

Os especialistas de missão do telescópio espacial Hubble continuam trabalhando na solução de uma falha ocorrida recentemente, que resultou na suspensão temporária de suas observações científicas. Eles já conseguiram restaurar as observações de um dos instrumentos e, enquanto continuam tentando recuperar os outros, a NASA fechou um contrato de extensão da missão científica do Hubble, que estende suas operações até 2026.

A equipe do telescópio segue investigando o problema que resultou na suspensão das observações. Até o momento, o instrumento Advanced Camera for Surveys já foi restaurado e retomou suas observações científicas com funcionamento dentro do esperado, enquanto os demais continuam no modo de segurança. Felizmente, a equipe do Hubble identificou algumas mudanças que podem ser aplicadas para definir como os instrumentos monitoram e respondem a mensagens de perda de sincronização.

O Hubble foi lançado em 1990 e, desde então, já realizou mais de 1,4 milhão de observações (Imagem: Reprodução/NASA)
O Hubble foi lançado em 1990 e, desde então, já realizou mais de 1,4 milhão de observações (Imagem: Reprodução/NASA)

Essas mudanças serviriam também para o monitoramento do computador de cargas úteis, que acompanha os instrumentos, e talvez permitam que as operações científicas continuem mesmo que haja algumas mensagens de perda. Os técnicos continuam analisando o software de voo do instrumento para verificar que todas as soluções possíveis para o problema são seguras para os instrumentos, e devem definir na próxima semana a ordem da realização de procedimentos para recuperar os instrumentos que sobraram.

Thomas Zurbuchen, administrador associado da diretoria de Missões de Ciência na NASA, comentou o trabalho dos especialistas em retomar o funcionamento dos demais instrumentos. “Esperamos que o telescópio tenha muitos anos de ciência à frente, e que trabalhe em parceria com o telescópio James Webb”, comentou. Com o novo contrato de extensão da missão, o potencial científico do Hubble poderá ser colocado em prática por ainda mais tempo.

O telescópio é um dos frutos de uma colaboração internacional realizada entre a NASA, a agência espacial do Canadá e a Agência Espacial Europeia (ESA) e, ao longo dos seus 32 anos de operação, mudou fundamentalmente a forma como vemos o universo. Assim, o novo contrato abraça o trabalho necessário para o Space Telescope Science Institute (STScI), instituição que dá apoio às operações do telescópio e de seu programa científico, manter o suporte; isso inclui os produtos e serviços necessários, sistemas científicos em solo, operações científicas, entre outros.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos