Mercado fechado

NASA escolhe 11 astronautas para futuras missões rumo à ISS, Lua e Marte

Patrícia Gnipper

A agência espacial dos Estados Unidos acaba de graduar 11 novos astronautas que serão designados a futuras missões rumo à Estação Espacial Internacional (ISS) e também à Lua, como parte do programa Artemis. Ainda, fazem parte desta turma os primeiros astronautas que serão enviados à superfície marciana na década de 2030. Junto à equipe, formaram-se também dois astronautas da agência espacial canadense (CSA).

Os novos astronautas, escolhidos entre mais de 18 mil candidatos, passaram mais de dois anos em treinamento e são os primeiros a se formar desde o anúncio do novo programa lunar da NASA, que prevê o retorno de humanos à superfície lunar em 2024 — "desta vez para ficar", como a própria agência já declarou várias vezes. A ideia é, a partir desse novo pouso dentro de quatro anos, iniciar uma "exploração sustentável" em nosso satélite natural, e para isso é essencial que a estação orbital Gateway, que ficará ao redor da Lua, seja montada até o final desta década, conforme o planejado.

Depois do retorno da humanidade à Lua em 2024, a ideia é realizar novas missões lunares anualmente e, a partir daí, iniciar de fato o projeto Moon to Mars, que prevê a Lua como um "pit stop" para as futuras viagens a Marte.

11 novos astronautas da NASA se formam ao lado de dois novos astronautas da agência espacial canadense (Foto: NASA)

"2020 marcará o retorno do lançamento de astronautas americanos em foguetes americanos a partir de solo americano, e será um ano importante de progresso para o nosso programa Artemis à Lua — e além", declarou Jim Bridenstine, administrador da NASA. Ele se refere ao Commercial Crew Program, que conta com as empresas privadas Boeing e SpaceX e suas naves Starliner e Crew Dragon, respectivamente, para que os envios de astronautas estadunidenses não sejam mais feitos pelos russos. Desde 2011, com o fim do programa dos ônibus espaciais, os EUA dependem da Roscosmos e suas naves Soyuz para esse transporte.

Incluindo essa classe de 11 novos astronautas recém-graduados, agora a NASA tem oficialmente 48 astronautas ativos. Mas a agência espacial pode aumentar, em breve, ainda mais esse número: é que ela está considerando abrir um novo processo seletivo ainda em 2020, para já começar a selecionar a próxima classe de astronautas, já que esta década que se inicia agora será bastante agitada para a exploração espacial.

Durante o treinamento que enfrentaram desde 2017, os novos astronautas precisaram provar proficiência em robótica, sistemas da ISS e jatos T-38, e precisaram ainda aprender o idioma russo, já que a ISS também é ocupada pelos antigos rivais da Corrida Espacial. Como astronautas, eles participarão do desenvolvimento de naves espaciais e apoiarão as equipes que estão atualmente no espaço, até que sejam, enfim, convocados para suas próprias missões espaciais, juntando-se ao seleto clube de 500 pessoas que já tiveram o privilégio de ir ao espaço.

No vídeo abaixo, você descobre um pouco sobre como é o treinamento intenso sob o qual candidatos a astronautas da NASA são submetidos:

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: