Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.438,71
    +4.270,79 (+7,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

NASA e outras 22 agências apresentam plano para resistir às mudanças climáticas

·2 minuto de leitura

Como parte dos esforços do governo norte-americano no enfrentamento às mudanças climáticas, a NASA divulgou, nesta quinta (7), um plano de ação climática. O objetivo é, além de evitar os efeitos do aquecimento global em seus trabalhos em desenvolvimento e futuras missões, garantir a adaptação das instalações e pesquisas da agência espacial e fornecer dados climáticos à população.

Os eventos climáticos, cada vez mais intensos, têm gerado um grande custo para que muitas agências federais norte-americanas realizem trabalhos de manutenção e reparo em suas instalações, além da saúde e segurança de seus funcionários. Por meio do planejamento de resiliência e adaptação climática, proposta pelo presidente Joe Biden, a NASA e outras 22 grandes agências do país elaboram seus planos de ação que se concentram nos riscos e vulnerabilidades mais evidentes.

(Imagem: Reprodução/V)
(Imagem: Reprodução/V)

O administrador da agência espacial, Bill Nelson, explicou que a NASA é uma das poucas agências federais a conduzir pesquisas climáticas e a oferecer dados fundamentais a governos, além, é claro, de explorar o espaço. “A NASA está empenhada em salvaguardar a nossa missão nas próximas décadas e, através dos dados que fornecemos ao mundo, ajudaremos outras agências a fazer o mesmo”, acrescentou Nelson.

Em maio deste ano, a NASA anunciou uma nova versão do Observatória da Terra, o Observatório do Sistema Terrestre (Earth System Observatory), que fornece dados de pesquisas relacionadas a diversas áreas. A plataforma inclui informações como atividade solar, aumento do nível do mar, condições da camada de ozônio e até mesmo as alterações do gelo que cobre a Terra. Mesmo assim, a agência precisa estar preparada para os efeitos das mudanças climáticas que já aparecem em todo o mundo.

(Imagem: Reprodução/NOAA)
(Imagem: Reprodução/NOAA)

As 23 agências encaminharam seus respectivos planos para uma revisão, que será feita pela Força Tarefa Nacional do Clima, da Diretoria Federal de Sustentabilidade do Conselho de Qualidade Ambiental da Casa Branca e do Escritório de Gestão e Orçamento (OMB). Após aprovação, as agências se comprometerão a incorporar suas propostas de resiliência e adaptação climática em todas as suas instalações.

As prioridades estratégicas da NASA são: garantia de acesso ao espaço; integração e adaptação ao clima de acordo com os planos diretores da agência; integração das mudanças climáticas em análises de risco e planejamento; atualização de modelagens climáticas para compreensão das possíveis ameaças e vulnerabilidades; e, por último, o avanço de pesquisas que redução o impacto da aviação no clima.

Os planos apresentados pelas agências estarão abertos a comentário públicos até o próximo dia 6 de novembro, a partir do portal Regulations.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos