Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.400,60
    -26,36 (-0,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Nasa e Nissan trabalham em bateria que carrega em até 15 minutos

·2 min de leitura
Nova bateria será menor, mais leve e mais segura que as atuais, dizem as empresas
Nova bateria será menor, mais leve e mais segura que as atuais, dizem as empresas
  • Empresas estimam que produção comece já em 2024;

  • Nova bateria será menor, mais leve e mais segura que as atuais;

  • Parceria também inclui a Universidade da Califórnia.

A Nissan, fabricante japonesa de automóveis, e a Nasa, agência espacial estadunidense, estão desenvolvendo, junto da Universidade da Califórnia em San Diego, um novo modelo de bateria para veículos elétricos, que promete permitir o carregamento em até 15 minutos.

Tradicionalmente, as baterias mais atuais são feitas a partir de íons de lítio. No entanto, a parceria quer revolucionar o mercado, introduzindo baterias de estado sólido. A tecnologia não é exatamente nova, ela já foi criada em laboratório. A grande dificuldade tem sido a sua produção em larga escala de forma comercialmente viável.

Para isso eles pretendem utilizar um banco de dados computacional para descobrir a maneira mais efetiva de produzir a bateria. Em termos comuns, eles estão executando milhões de modelos no computador com a esperança de encontrar algo que funcione.

As empresas estimam que a nova bateria comece a ser produzida em 2024, com os primeiros carros da montadora com a tecnologia chegando ao mercado em 2028. Estima-se que a nova bateria tenha metade do tamanho, seja mais leve e mais segura que as baterias atuais.

Ao redor do mundo diversas empresas dizem estar investindo na tecnologia, pensando em formas de substituir a pasta semi líquida que separa o ânodo do cátodo da bateria convencional. A colaboração da Nasa e da Nissan, por outro lado, visa encontrar novas matérias primas que as utilizadas nas baterias de hoje, de modo a reduzir a dependência em materiais raros, como o lítio, o níquel, o cobalto e o manganês.

A Toyota diz que está chegando perto. QuantumScape e StoreDot dizem que estão quase lá. CATL, LG Energy Solutions, SK Innnovation e Samsung SDI afirmam estar no caminho certo. E é esse mesmo desafio que os cientistas das da Nasa, da Nissan e da Universidade da Califórnia pretendem superar.