Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.723,82
    -2.053,13 (-4,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

NASA decide interromper projeto do lander lunar graças à "treta" da Blue Origin

·2 minuto de leitura

A NASA concordou em paralisar temporariamente o desenvolvimento do Human Landing System (HLS), módulo de pouso que levará astronautas à superfície da Lua, após ação da Blue Origin no Tribunal de Ações Federais dos Estados Unidos. O contrato de US$ 2,9 bilhões para o HLS foi concedido à SpaceX de Elon Musk em uma decisão contestada por Jeff Bezos, fundador da Blue Origin.

Essa nova paralisação nos preparativos do Programa Artemis, que levará os próximos humanos e a primeira mulher à Lua daqui a alguns anos, deve terminar em 1º de novembro, duas semanas depois que as alegações orais forem apresentadas, o que deve ocorrer no dia 14 de outubro, de acordo com o cronograma estabelecido na última quinta-feira (20).

O processo da Blue Origin se deve à decisão da NASA conceder contrato exclusivo à SpaceX para o desenvolvimento do HLS, contrariando a informação inicial de que duas empresas seriam escolhidas para ajudar a agência espacial a criar os equipamentos necessários para o pouso humano na Lua. O terceiro candidato era a empresa Dynetics.

Conceito do lander lunar da SpaceX, baseado no Starship (Imagem: Reprodução/SpaceX)
Conceito do lander lunar da SpaceX, baseado no Starship (Imagem: Reprodução/SpaceX)

Indignada com a decisão de contratar apenas uma empresa, a Blue Origin processou a NASA e exigiu que os critérios de escolha fossem revistos. A ação é "uma tentativa de remediar as falhas no processo de contratos encontradas no Human Landing System", argumentou a companhia de Bezos.

No mês passado, o US Government Accountability Office (GAO) apoiou a NASA em sua decisão, mas a Blue Origin disse que continua convencida de haver "questões fundamentais" na decisão da NASA que o GAO não foi capaz de resolver "devido à sua jurisdição limitada". Por outro lado, agência espacial disse na quinta-feira que "está comprometida com [o programa] Artemis e em manter a liderança global do país na exploração do espaço”.

Entretanto, a nova paralisação pode significar um atraso no cronograma da NASA, que prevê o retorno da humanidade à superfície da Lua em 2024. O administrador da agência disse que não sabia se manter este cronograma ainda será possível, dados os desdobramentos do programa com esta briga entre Blue Origin, NASA e SpaceX. Sobre a decisão de contratar apenas uma empresa para o HLS, a NASA alegou limites no orçamento concedido do Congresso norte-americano.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos