Mercado fechado

NASA consegue contato com a sonda Voyager 2 após sete meses — e ela respondeu!

Danielle Cassita
·2 minuto de leitura

Em março, a rede de antenas Deep Space Network (DSN), usada para comunicação com a sonda Voyager 2, ficaria com suas operações parcialmente offline durante alguns meses para a realização de atualizações e manutenções. Depois de tantos procedimentos, os operadores da missão decidiram enviar enviaram comandos para a sonda pela primeira vez no final de outubro. Já em 2 de novembro, a NASA confirmou o recebimento da resposta da Voyager 2.

Lançada em 1977, a Voyager 2 segue navegando no espaço em uma trajetória que a torna visível apenas para a antena DSS43, localizada na Austrália e parte da rede Deep Space Network (DSN), para a comunicação com naves que estão além da Lua. Acontece que, com o desligamento da antena, a sonda precisou seguir viagem por conta própria, mas continuou enviando atualizações e dados científicos.

Um dos procedimentos de atualização na DSS 43 (Imagem: Reprodução/CSIRO)
Um dos procedimentos de atualização na DSS 43 (Imagem: Reprodução/CSIRO)

Agora, a DSS 43 foi atualizada com dois novos transmissores de rádio, e os comandos enviados foram um teste do novo hardware instalado. Embora sejam necessárias cerca de 36 horas-luz para o sinal alcançar a Voyager 2, a NASA anunciou o sucesso do teste com o retorno de um sinal da sonda, que confirmou o recebimento do chamado seguido pelos comandos executados com sucesso. O retorno indica que o equipamento estará pronto para ficar online novamente no ano que vem: "esse teste de comunicação com a Voyager 2 definitivamente nos mostra que estamos no caminho certo", disse Brad Arnold, gerente de projeto da DSN.

A DSS43 é a única no hemisfério Sul que conta com transmissor poderoso o suficiente e que emite a frequência certa para enviar comandos à sonda. Embora os operadores da missão não tenham conseguido comandar a Voyager 2 desde que a DSS43 ficou offline, as antenas de rádio das instalações podem ser usadas juntas para captar os sinais enviados pela missão, que reportam dados científicos do espaço interestelar — a região fora da proteção do Sol.

Além disso, quanto mais longe a nave está, mais difícil é contactá-la, porque o sinal precisa viajar mais até alcançá-la e é preciso mais energia tanto para enviá-lo quanto para recebê-lo. Por isso, a Deep Space Network tem papel de grande importância na comunicação com naves tão distantes: esse conjunto de antenas de rádio dispostas na Austrália, Espanha e Estados Unidos permite que pelo menos uma antena tenha uma linha de visão direta para as naves a qualquer momento.

O programa Voyager foi iniciado na década de 1977 pela NASA para estudos sobre o Sistema solar: foram lançadas as sondas Voyager 2, em agosto, e a Voyager 1, em setembro. O programa apresentou sucesso que foi além das expectativas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: