Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    48.974,77
    +1.526,95 (+3,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

NASA adia Programa Artemis e retorno à Lua fica para 2025 (ou depois)

·2 min de leitura

A NASA segue trabalhando a todo vapor no programa Artemis, para levar novos astronautas à superfície da Lua. A ideia era que isso acontecesse em 2024, mas, devido a uma série de obstáculos, a agência espacial precisou mudar de planos. Segundo informações dos oficiais da NASA divulgadas nesta terça-feira (9), o pouso lunar precisará ser adiado em pelo menos um ano e não ocorrerá antes de 2025.

De acordo com Bill Nelson, administrador da agência espacial, o pouso acontecerá a partir de 2025 em função de fatores diversos, como o processo judicial movido pela Blue Origin e motivado pelo desenvolvimento do lander que levará os astronautas à superfície da Lua, além de atrasos relacionados ao desenvolvimento da cápsula Orion. “Nós perdemos quase sete meses com litígios, e isso provavelmente adiou o primeiro pouso tripulado para não acontecer antes de 2025”, disse ele.

Versão do veículo Starship que será desenvolvida pela <a class="link rapid-noclick-resp" href="https://canaltech.com.br/empresa/spacex/" rel="nofollow noopener" target="_blank" data-ylk="slk:SpaceX">SpaceX</a> para os pousos do programa na Lua (Imagem:Reprodução/SpaceX)
Versão do veículo Starship que será desenvolvida pela SpaceX para os pousos do programa na Lua (Imagem:Reprodução/SpaceX)

Segundo Nelson, a NASA ainda entrará em contato com a SpaceX, empresa responsável pelo lander, para elaborar um cronograma mais preciso. Esta foi a primeira vez em que a agência espacial reconheceu publicamente que não seria possível lançar a missão tripulada para um pouso na Lua em 2024, ano proposto pelo governo do ex-presidente Donald Trump — o vice-presidente Mike Pence, da gestão de Trump, declarou que “a primeira mulher e o próximo homem norte-americano deveriam ir para a superfície lunar por todos os meios necessários”.

Apesar de o governo do atual presidente Joe Biden dar apoio à data, a equipe de transição presidencial reconheceu que este não era um prazo realista. Em paralelo, a NASA vem enfrentando obstáculos políticos e técnicos enquanto tentava cumprir o objetivo — um deles foi o longo processo jurídico envolvendo a Blue Origin, empresa fundada por Jeff Bezos, e o contrato para a construção do lander lunar. Embora tenha saído vitoriosa, a agência espacial precisou pausar o desenvolvimento do lander lunar por meses enquanto o processo se desenrolava na Justiça.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos